29 jan 2015

Não desanimemos no seguimento de Jesus Cristo

Não desanimemos no seguimento de Jesus Cristo! Vivamos nesta constante expectativa do Senhor que vem. Por isso não vamos desanimar nem desanimar aos outros!

“Sem desânimo, continuemos a afirmar a nossa esperança, porque é fiel quem fez a promessa” (Hebreus 10, 23).

A Palavra de Deus, dirigida aos nossos corações no dia de hoje, tirada da Carta aos Hebreus, nos chama a atenção para não desanimarmos no seguimento de Jesus Cristo. E aqui “seguimento de Jesus Cristo” não é apenas aquele seguimento ao dizer: “Eu creio em Deus! Eu creio em Jesus e jamais vou deixá-Lo!”.

O fato é que com o passar do tempo, com as ilusões, com as dificuldades e as decepções, muitos de nós acabamos abandonando as coisas e os trabalhos do Senhor. Quantos de nós já servimos o Senhor com mais dedicação e com mais empenho no início; já participamos de grupos de oração, éramos fervorosos nas Missas, na reza do santo terço, enfim, na vivência da Palavra de Deus. Mas, por algum motivo, passamos por decepções ou por dificuldades ou nos deixamos levar por outras ondas que parecem animar mais o nosso coração.

É a Carta aos Hebreus que nos diz hoje: “Não abandonemos as nossas assembleias, como alguns costumam fazer. Antes, procuremos animar-nos mutuamente, e tanto mais quanto vedes o dia aproximar-se” (Hebreus 10, 25). Pelo contrário, vamos nos animar uns aos outros para sermos firmes e perseverantes até o Dia do Senhor.

Algumas vezes, nós convivemos, no trabalho, na escola ou no mundo, com pessoas que já foram do Senhor e depois esfriaram no seu amor e na sua prática cristã e muitas nos contaminaram com seu desânimo. E nós também, quando estamos desanimados, chateados e esmorecidos pelas decepções pelas quais passamos, queremos contagiar os outros, algumas vezes de forma consciente, outras de forma inconsciente. Desse modo, nós passamos a semente do desânimo para o outro. A pessoa tinha até vontade e gosto de participar das coisas de Deus, mas não vai mais por escutar tantas críticas.

Eu vejo, frequentemente, as pessoas falarem assim: “Eu estudei em um colégio de freira! Eu estudei em um colégio de padres! Eu sei tudo da Igreja, então já a frequentei bastante, não preciso mais fazer isso!“. Não caia nessa terrível tentação, não caia nesse terrível engano! Nós não podemos abandonar as assembleias (que quer dizer não abandonar as coisas de Deus, os compromissos com Ele). Pode ser que, com o tempo, tenhamos outros compromissos e a nossa família exija mais de nós e já não possamos fazer tantas coisas como antes, mas não podemos abrir mão do essencial!

Se você era do grupo de oração, encontre novamente tempo para frequentá-lo, para fazer um grupo de oração acontecer; você não precisa ser o coordenador, mas vá lá afervorar o seu espírito. Se você participava de um grupo de reflexão da Palavra, se não pode ir neste ou naquele grupo, então faça-o nem que seja na sua casa, mas afervore e viva a dinâmica do Reino de Deus!

Eu nem posso pensar que, de repente, você não tenha tempo nem para ir à Missa semanal, a chamada Missa Dominical; esta nenhum de nós pode abrir mão de forma absoluta, porque a Missa, no dia do Senhor, é aquela que nos prepara para “o” Dia do Senhor [segunda vinda de Jesus]!

Vivamos nessa constante expectativa do Senhor que está por vir, por isso não vamos desanimar nem vamos desanimar aos outros; pelo contrário, vamos animá-los para que, juntos, possamos ir ao encontro do Senhor que vem!

Deus abençoe você!

Comentários

comentário(s)

↑ topo