09 fev 2016

Viver a vontade do Senhor, eis a verdadeira religião

A religião verdadeira é aquela na qual empenhamos nosso coração para viver a vontade do Senhor nosso Deus

“Bem profetizou Isaías a vosso respeito, hipócritas, como está escrito: ‘Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim. De nada adianta o culto que me prestam, pois as doutrinas que ensinam são preceitos humanos’” (Marcos 7,6-7).

Jesus é terno, misericordioso e bondoso. Ele pega a pessoa na pior das condições humanas ou no pecado que possa parecer mais duro, mais insuportável e acolhe com todo amor e ternura.

Mas o Jesus suave é também o Jesus firme. E como Jesus é firme, como Ele fica bravo (no bom sentido da palavra) com a hipocrisia, com aqueles que querem viver uma religião de fachada, preocupados com as leis, as doutrinas e os ensinamentos, mas não têm sequer um pingo de misericórdia no coração!

Vejam vocês, os fariseus estão inquietos, perturbando-se e perturbando os outros, porque estão olhando o exterior das pessoas. Estão ali incomodados, porque os discípulos de Jesus comem sem lavar as mãos. Grande coisa! Eles lavam as mãos, mas o coração está sujo.

Sabe, meus irmãos, vivemos na sociedade da aparência ou no mundo das aparências, onde o que importa é o que aparentamos ser para o outro. E aí as pessoas capricham até com gosto para cuidar da sua aparência. São horas no salão, são tratamentos de beleza e de pele, são tempos e tempos gastos para se maquiar, colocar no rosto um semblante, uma face que pareça mais bonita e assim se vai.

Nada contra! Precisamos cuidar bem da nossa aparência, estarmos bem, isso é maravilhoso! Mas, cuidado para não cuidar só da casca, para não ficar o tempo inteiro mergulhado na aparência e não cuidar da essência, dos valores do nosso coração.

Cuidado para não usar tanta roupa bonita que o faça parecer ser isso ou aquilo, mas o coração estar sujo, podre, vazio e hipócrita. Assim era o coração dos fariseus. Jesus olhava e acolhia com muito amor os sujos da humanidade, os maltrapilhos, aqueles que ninguém dava nada por eles. Mas, como é duro ver as pessoas que parecem tão santas, tão boas, tão de Deus, mas por dentro são tão vazias, ocas! Ou não estão tão vazias nem tão ocas, mas tão sujas que não são capazes de enxergar a própria sujeira. Julgam, condenam, mas não vivem o que ensinam. A religião verdadeira é aquela na qual nós empenhamos nosso coração em viver a lei do Senhor e a vontade d’Ele.

Deus abençoe você!

repensando-a-vida

Adquira em nossa Loja Virtual o livro do Padre Roger

Comentários