14 dez 2016

Testemunhemos nossa experiência com Deus

Levemos essa experiência da nossa vida para o coração das pessoas

“Nessa mesma hora, Jesus curou de doenças, enfermidades e espíritos malignos muitas pessoas, e fez muitos cegos recuperarem a vista” (Lucas 7,21).

A exemplo do Evangelho de domingo, estamos acompanhando, em Lucas, a narração do mesmo fato, quando João Batista manda perguntar se Jesus é o Messias ou se devem esperar por outros. Como nós sabemos, não era João quem tinha dúvidas; pelo contrário, ele tinha convicção, certeza, e sabia quem era Jesus, mas queria que seus discípulos tivessem essa mesma convicção.

Na mesma hora que eles chegam para perguntar a Jesus [se Ele era o Messias], Ele não responde, mas Suas obras dizem quem Ele é. Neste mesmo instante, doentes são curados, enfermidades são sanadas, espíritos malignos são expulsos, muitos cegos recuperam a vista e pessoas são transformadas. O messianismo de Jesus não se manifesta por palavras, mas por Suas obras, por aquilo que Ele realiza em nosso meio.

Sabe, meus irmãos, na nossa vida, não precisamos falar somente das coisas de Deus, porque Jesus também falava, anunciava e proclamava, mas Ele também proclamava, mostrava com a vida, com os fatos e acontecimentos, trazia o povo para a realidade do Reino de Deus.

Não adianta só falarmos de Deus, mostrarmos que Ele é amor, que é Pai, se não levarmos essa experiência da nossa vida para o coração das pessoas. Elas precisam ver os sinais do Reino de Deus acontecer em nosso meio! E são tantos os testemunhos, tantos sinais visíveis e palpáveis de que o Reino de Deus está no meio de nós!

Sabe o que acontece? Vivemos num mundo em que as pessoas gostam de falar de tragédias, desgraças, coisas negativas, horrores e dissabores. Já existem jornais, programas na televisão para mostrar os desastres da humanidade! É verdade que onde nós vivemos, por onde passamos, coisas negativas acontecem, mas por que ficamos nas coisas negativas? Por que ouvimos tanto e proclamamos tanto aquilo que só é mau, ruim? Por que a prática da fofoca é mais envolvente do que a prática da evangelização e do anúncio da Boa Nova? Por que será que as práticas maldosas são mais conhecidas do que as práticas do bem?

Quanta caridade, quanto amor, quanta ternura, quantas pessoas sendo transformadas! Quando nós começarmos a rezar mais uns pelos outros, quando começarmos a fazer mais o bem, e o mal sair da nossa vida, quando deixarmos de dar ouvidos à fofoca, às coisas ruins, às tragédias e negatividades da vida, seremos agentes de transformação deste mundo, como Jesus foi!

Cristo precisa que nós sejamos outros “cristos”, fazendo as obras que Ele fez em Seu nome maiores ainda. Não é ilusão, não é passar uma faixa para enganar e parecer que o mundo está bem. Não! Sabemos o quanto esse mundo está ruim e quanta coisa negativa tem no mundo em que vivemos, mas não podemos negar que entre nós está o Reino de Deus.

Proclamemos, mostremos em nós e ao nosso redor onde o Reino de Deus está acontecendo!

Deus abençoe você!

Comentários