05 jan 2017

Só o amor vence o ódio

A única força capaz de vencer o ódio, o ressentimento, o rancor e a mágoa dentro de nós é o amor

“Todo aquele que odeia o seu irmão é um homicida. E vós sabeis que nenhum homicida conserva a vida eterna dentro de si” (1João 3, 15).

Esses dias, li uma triste notícia que dizia que só na cidade de São Paulo, a cada 30 minutos, morre uma pessoa por causa do ódio. Isso nos leva a ver que, no mundo inteiro, pelo menos uma pessoa morre a cada minuto por causa do ódio presente no coração das pessoas. Há ódios terríveis e grandes, mas há ódios desconhecidos e assimilados guardados dentro de nós que nos levam a ser também homicidas.

Quando guardamos rancor e ressentimento, e esses sentimentos negativos não são cuidados, não são combatidos dentro do nosso interior e da nossa alma, eles crescem e, muitas vezes, são alimentados por mais coisas negativas que ouvimos aqui e acolá; ou que a nossa mente fantasia, de modo que se alguém nos machucou e nos feriu profundamente, alimentamos um sentimento muito ruim em relação àquela pessoa.

Permita-me dizer ao seu coração: o ódio não é de Deus. Isso pode até parecer redundante, mas, infelizmente, nós não tomamos consciência dessa verdade e deixamos a força do ódio crescer dentro do nosso interior.

Combatamos, com todas as forças da nossa alma, tudo aquilo que provoca ódio dentro de nós em relação à pessoa do próximo.

Por maiores que sejam as feridas, as cicatrizes, as marcas que ficaram em nosso coração, o ódio só nos faz mal. Primeiro, porque a força do ódio cega a nossa própria visão interior, permite-nos ficar cegos em relação à verdade. Só conseguimos falar mal de quem odiamos, só conseguimos ver coisas ruins da pessoa de quem carregamos ódio. Isso faz com que nós enxerguemos, falemos, proclamemos e passemos para outros aquilo que está ruim dentro de nós. Esse é outro mal, porque ficamos muito ruins por dentro, nasce dentro de nós uma força tão negativa, maligna e terrível que é na verdade um verdadeiro câncer.

Não pense que é só aquele câncer que mata, porque ele é fruto do câncer interior que carregamos dentro de nós. Esse câncer destrói nossa alma e nosso interior, porque nenhum homicida conserva em si a vida eterna. Vamos matando as sementes de eternidade que há dentro de nós quando permitimos que o ódio cresça.

Irmãos, não amemos só com palavras, mas com ações de verdade. Não basta somente não odiar, é preciso também e, acima de tudo, amar. A única força capaz de vencer o ódio, o ressentimento, o rancor e a mágoa dentro de nós é o amor.

Esforcemo-nos e lutemos para que o amor seja uma prática concreta em nossa vida. Vamos revisar a nossa vida no início de mais um ano e perceber onde amamos. Você pode dizer: “Eu já amo meus filhos e meu marido!”. O amor é muito mais do que isso, nem posso imaginar que não esteja amando os seus!

Ame-os com muita profundidade, mas o amor é muito mais universal, abrange muitas situações, sobretudo, a de amarmos aqueles a quem, muitas vezes, não queremos bem ou não nos querem bem. É esse amor que vem do coração de Deus!

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários

Setembro

50%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários