02 maio 2008

SENHOR, QUE NÃO FAÇA O QUE QUERO. MAS O QUE QUERES Mc 12,1-12

Jesus depois de ter terminado os vários conflitos com os fariseus durante o seu ministério em Cana da Galiéia, agora censura os chefes de Israel em Jerusalém.

Nesta parábola, Jesus está mostrando o caráter dos líderes judeus, que tinham rejeitado os profetas de Deus e estavam se preparando para rejeitar e matar seu Filho amado.

 A parábola contada por Jesus, dos trabalhadores de uma vinha está diretamente relacionada à questão da autoridade de Jesus rejeitada pela liderança judaica. Assim como rejeitaram a autoridade divina de Jesus sobre suas vidas e conduta, também rejeitaram a soberania do Filho do dono da vinha e O mataram.

A metáfora de Israel como a vinha do Senhor era bem conhecida, através do texto de Isaías 5:1-7. Em Isaías, a vinha do Senhor deu frutos bravos, em vez de frutos doces e bons. Esta vinha são os lideres judaicos, sou eu és tu. Quando não produzimos as boas obras que Deus espera de nós.

 Na parábola de Cristo, o problema não está com a vinha, mas com os empregados, ou seja, agricultores que não quiseram reconhecer a autoridade do legítimo dono da vinha, matando-lhe primeiramente os empregados e finalmente seu próprio Filho. Estes são os Farizeus a quem Deus tinha confiado direção do seu povo. Sou eu és tu, porque somos devedores dos dons que recebemos dele.

Para nós, a questão de aceitar ou não a autoridade divina em nossa vida é algo de vida ou morte – como o foi para os líderes religiosos dos dias de Cristo. Se nos submetermos à autoridade divina e fazer nossa esta oração: não se faça o que eu quero, e sim, o que Tu queres.  E isso nos leva ao caminho da salvação. Se não nos submetermos, faremos nossa vontade, que é perversa, egoísta e má, e nos colocamos no caminho da perdição eterna.

A verdade é que, se Jesus não for o primeiro em nossa vida, Ele não será nada para nós, pois, no que diz respeito à salvação, não há meio termo: ou somos de Cristo, por inteiro, ou nossa experiência religiosa é uma hipocrisia completa. É então somos maus agricultores. E sendo assim, não entraremos no reino dos céus. Porque: nem todo aquele me diz “Senhor, Senhor” que entrará no Reino do Céu, mas somente quem faz a vontade do meu Pai, que está no céu!

Comentários