10 jul 2014

Sejamos mensageiros da esperança e da vida nova em Deus

Os mensageiros de Deus não podem ser mensageiros do desalento e da desgraça. Devemos ser mensageiros da esperança, do alento e da vida nova em Deus. 

“’O Reino dos Céus está próximo’. Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!” (Mateus 10,7).

 

Jesus nos chama a anunciar o Reino de Deus, a anunciar que o Reino de Deus está próximo e no meio de nós. Sabem, meus irmãos e minhas irmãs, a missão daquele que foi conquistado por Jesus é promover o Reino de Deus onde ele está.

A coisa mais dura no mundo é quando os discípulos de Jesus, algumas vezes, promovem muito mais o reino do maligno do que o Reino de Deus! É muito triste ver que, muitas vezes, somos usados e nos permitimos usar e usamos também os outros para criarmos o reino da mentira, da fofoca, do “disse não me disse”, para criarmos divisões, separações e conflitos desnecessários onde era para o Reino de Deus acontecer.

Deus hoje quer nos despertar  nós que somos do Senhor – para que façamos o Reino de Deus acontecer, para que sejamos, de fato, promotores do Reino de Deus. De que modo? Cuidando de nossas doenças e de nossas enfermidades; cuidando das doenças e das enfermidades dos que estão ao nosso lado; ressuscitando os mortos.

Quanta gente sem sentido na vida, caminhando sem rumo e precisando revigorar a vida. Os mensageiros de Deus não podem ser mensageiros do desalento, da desgraça, do “quanto pior melhor”. Nós devemos ser mensageiros da esperança, do alento e da vida nova em Deus! 

“Purificai os leprosos, expulsai os demônios” (Mt 10,7), a primeira lepra que nós devemos purificar são as impurezas do nosso próprio coração, da nossa alma e da nossa vida. Ao mesmo tempo, é preciso purificar todas as lepras que estão ao nosso lado, que vão nos deixando apodrecer por dentro e por fora.

Quando nós permitimos que o rancor, a mágoa e o ressentimento cresçam em nós e ao redor de nós, isso vai se tornando uma chaga que, muitas vezes, se torna uma chaga mortal. É nosso dever nos purificarmos daquilo que nos faz mal; é nossa obrigação, como discípulos de Cristo, expulsar o que não é de Deus do meio de nós, termos o coração ligado, a mente ligada, estarmos sóbrios e atentos, porque, muitas vezes, sem percebermos, a força do mal age em nossa mente, age por meio de nossas palavras. E, se não formos atentos, permitiremos que  as coisas do maligno cresçam no meio de nós.

Como os discípulos do Senhor, façamos o Reino de Deus acontecer no meio de nós!

Deus abençoe você!

Comentários