12 ago 2014

Sejamos maduros, mas não percamos o coração de criança 

Sejamos muito maduros, crescidos, amadurecidos com a vida, mas não percamos esse coração puro de uma criança, porque quanto mais desprovido e necessitado for o nosso coração do amor divino, tanto mais Deus cuidará de nós.

“Em verdade vos digo, se não vos converterdes, e não vos tornardes como crianças, não entrareis no Reino dos Céus” (Mateus 18, 3).

 

A mensagem de Jesus para o nosso coração no dia de hoje é um apelo para que voltemos a ser crianças, mas não no sentido cronológico do tempo. Voltar a ser criança e ter um coração de criança é abraçar novamente a pureza, abraçar novamente aquela criança que tem carência de afeto, de saber, de conhecer e de cuidado.

Vemos que é mais fácil cuidar do filho quando criança do que quando este se torna um rapagão, uma moça,  porque nessa fase age conforme a sua cabeça e seus pensamentos. Com a criança isso não ocorre, pois ela precisa de tudo, necessita saber tudo, ela necessita de atenção e de cuidado.

Assim como para alguns pais é mais fácil cuidar de uma criança, porque esta [criança] obedece muito mais, Deus pode cuidar muito mais de nós se tivermos o coração como o de uma criança, que necessita aprender, pois Ele nos ensina. Ao passo que, quando já sabemos tudo e nos comportamos como os grandes sábios, o que Deus pode nos ensinar? O que Ele pode fazer por nós se já somos grandes, autossuficientes, se já podemos tudo? Desse modo como  o Senhor pode nos pegar pela mão, nos pegar pelos braços e cuidar de nós?

Criança é sinônimo de humildade e humildade é caminho de salvação. Quando sabemos ser humildes, Deus pode fazer muito por nós. Ser adulto, muitas vezes, é sinônimo de orgulho, de autossuficiência, do “eu posso”. Sejamos muito maduros, crescidos, amadurecidos com a vida, mas não percamos esse coração puro de criança, porque quanto mais desprovido e necessitado for o nosso coração do amor divino, tanto mais Deus cuidará de nós. Quanto menos rebeldes nós formos, tanto mais Deus poderá fazer por nós.

É difícil conversar com um adulto cabeça-dura, é difícil fazê-lo entender, compreender, dialogar com ele, porque ele acha que já sabe de tudo, já tem sua opinião formada e não está aberto para o novo. Ao passo que a criança está sempre descobrindo as novidades do mundo e os horizontes à sua frente. Por isso é gostoso as ensinar, é gostoso entrar no mundo delas; as crianças nos remetem à pureza original. Quanto mais criança for, tanto mais pura é a criatura; quanto mais a nossa alma se aproximar de uma criança frágil, de um bebê ainda no colo da mãe, todo necessitado de afeto, de carinho, totalmente puro, mais a nossa alma se aproximará de Deus.

É por isso que o maior no Reino dos Céus é quem mais se parece com as crianças. Quanto mais tivermos o coração de criança, tanto maiores ficaremos diante de Deus. Por outro lado, quanto mais o orgulho do adulto tomar conta de nós tanto mais vamos nos tornando menores, correndo o risco de desaparecer para o Reino de Deus.

Que nós cresçamos no coração de Deus, que nós possamos diminuir para o mundo e para nós mesmos para sermos grandes aos olhos do Senhor!

Que Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários

Outubro

42%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários