01 maio 2010

São José, modelo das virtudes*

São José continua sua missão na Igreja por meio de sua poderosa intercessão no céu. Com sua grande dignidade e admiráveis exemplos de virtude continua vivo e atuante.

A glória extraordinária que goza no céu é proporcional a seus méritos e generosa gratidão de Seu Filho que, segundo a intensidade do grande amor do santo, lhe dá uma medida cheia, suma e superabundante em Seu Reino.

O glorioso patriarca é conhecido como o santo de vida oculta e interior, porque não realizando aos olhos do mundo nada de extraordinário, passando despercebido, no interior, onde só foi verdadeiramente grande, é impenetrável ao olhar humano.

São José foi é como um instrumento útil e nobre que se utiliza para o trabalho, mas que depois se deixa de lado, sem reclamar. Sua vocação foi, ao contrário dos profetas e de João Batista, a de ocultar a Luz Divina aos olhos do mundo, até o momento oportuno de Deus quando, então, Ele deveria aparecer.

Os profetas e os apóstolos resplandeceram pela pregação de Jesus Cristo; São José, diferentemente, por toda a vida, teve de proteger e ocultar a divindade do Senhor, e depois se diluir como uma sombra. Isso mostra toda a grandeza do santo, porque era na terra a “sombra do Pai Eterno”, a quem ele substituiu na terra diante do Seu Unigênito encarnado.

Em sua casa habitava o Messias, o Salvador do mundo, o “desejado das nações”; “o mais belo dos filhos dos homens”, como disse o salmista, mas São José nunca disse nada. Nunca se vangloriou disso. Quis sempre se conservar oculto; foi verdadeiramente humilde. E quando vieram os dias gloriosos e cheios de milagres para Jesus, José já não estava neste mundo. Toda a vida do santo foi, portanto, um período contínuo de vida interior. Foi modelo de humildade, a maior das virtudes, aquelas que os anjos maus e Adão e Eva não souberam guardar.

A luz de São José não apareceu aos homens; foi como um suave perfume que todos sentem sem saber donde provém; e continua ainda hoje a perfumar a Igreja de Deus. Eis a sua grandeza, inseparável da própria vocação. Sem isso, não teria valor algum diante dos homens e estaria de mãos vazias diante de Deus; ao contrário, tudo quanto operava o santo era preciosíssimo tesouro para o céu.

A vida interior tem um valor incalculável, por comunicar um valor imenso a tudo quanto fazemos para o Senhor, fazendo-nos superar todas as dificuldades da vida.

A Igreja, além de ter promovido o culto a São José por meio de festas e práticas de piedade, apresenta-o a todos os cristãos como modelo e protetor.

Padre Pacheco

Comunidade Canção Nova

Cf. Aquino, F. “O glorioso São José” p. 141-142; Ed. Cléofas, 2008, Lorena – SP.

Comentários