14 jun 2014

Que Deus nos ajude a sermos autênticos ao assumir nossa fé

Que Deus nos ajude a sermos autênticos e a assumir a nossa fé e aquilo que, de fato, nós somos! 

“Seja o vosso ‘sim’: ‘sim’, e o vosso ‘não’: ‘não’. Tudo o que for além disso vem do Maligno”
(Mateus 5, 37).

 

Amados irmãos e irmãs no Senhor, a Palavra de Deus hoje nos convida a vivermos a autenticidade naquilo que falamos, naquilo que dizemos, naquilo que é a nossa palavra. Devemos dizer: “Não seja uma pessoa de duas palavras nem uma pessoa de duas posições! Não seja uma pessoa que diz uma coisa aqui e outra acolá!”

Primeiro, porque não termos uma palavra única, falarmos de acordo com o público, falarmos de acordo com a vontade dessa ou daquela pessoa, cria em nós um espírito de hipocrisia, faz de nós pessoas hipócritas. Ninguém confia em quem vive na hipocrisia, às vezes, nós mesmos vamos acreditando em nossas mentiras; nós falamos uma coisa aqui para agradar esse, falamos outra coisa acolá para agradar aquele outro e, no fundo, vamos criando um mundo falso e mentiroso ao redor de nós.

Nós não podemos ser pessoas de duas palavras, nós não podemos ser pessoas de atitudes controversas. Nós precisamos ter um “sim” quando é “sim”, quando precisamos dizer “sim”, quando, na verdade, precisamos assumir aquilo em que nós acreditamos.

No mundo de hoje é muito comum as pessoas, às vezes, quererem dizer “sim” para tudo, até no mundo religioso, no mundo da fé, quando as pessoas dizem: “Não, tudo é bom, tudo é verdadeiro”. O que não é verdade, nem tudo que parece ser bom é bom, nem tudo que vem revestido de pele boa é bom por dentro. Nós precisamos conhecer aquilo que nos é apresentado; nos é reservado o direito de saber dizer “não sei”, nos é reservado o direito de dizer “não entendo” ou podemos dizer que “estamos conhecendo, analisando”. Mas não podemos assumir uma coisa sem a conhecer bem, sem saber do que se trata, sem saber o que é.

No mundo da fé, nós, muitas vezes, estamos comungando de pensamentos, de filosofias e de convicções religiosas que não estão de acordo com a vontade de Deus, que não são de Deus. Ou que, muitas vezes, têm uma aparência boa, fala do bem, mas não significa que aquilo seja de Deus, que essa filosofia ou essa religião seja de Deus.

Não podemos ser aquelas pessoas que ficam “em cima do muro”, uma hora estão aqui, outra hora estão acolá. Nós precisamos abraçar e assumir o que somos. Precisamos abraçar a nossa fé e nossas convicções. Algumas vezes, vejo uma pessoa que se diz católica, mas ela vive lendo livros de horóscopo, fica procurando qual é o seu signo ou frequenta lugares e instituições que não dizem respeito e não convêm à nossa fé.

Que Deus nos ajude a sermos autênticos, que Deus nos ajude a assumir aquilo que, de fato, nós somos para não sermos uma coisa em um momento e outra coisa em outra situação!

Deus abençoe você!

Comentários