28 maio 2016

Purifiquemos nosso coração de toda maldade

Quando não nos deixamos ser purificados pela graça de Deus, a malícia, a maldade e o veneno vão crescendo dentro de nós

Com que autoridade fazes essas coisas? Quem te deu autoridade para fazer isso?” (Marcos 11, 28).

 

Jesus estava com Seus discípulos no templo de Jerusalém e aproximaram-se os sumos sacerdotes, os mestres da Lei e os anciões para questioná-Lo sobre Sua autoridade. Eles queriam saber se a autoridade de Cristo vinha dos homens ou dos céus.

Jesus percebeu a malícia das perguntas e das intenções. Aqui, ‘malícia’ é a tradução para a maldade que há no coração de quem pergunta, o que, na verdade, é um grande veneno. Existem pessoas que carregam um veneno dentro de si, e estamos nos referindo às pessoas religiosas, aos sacerdotes, conhecedores da Lei divina, anciões, homens já vividos e experienciados na prática das coisas de Deus que não conseguiram se purificar do fermento da maldade.

Quando a pessoa está com a maldade no coração, tudo aquilo que ela faz acaba sendo revestido pelo mal. Quando estamos com raiva, ressentidos com alguém, fazemos perguntas, comentários, criamos situações para deixar aquela pessoa em situação difícil. Há grande maldade na presença, sobretudo na ausência das pessoas. Quando não nos deixamos ser purificados pela graça de Deus, a malícia, a maldade e o veneno vão crescendo dentro de nós e vamos criando situações para deixar envenenada as outras pessoas que não gostamos nem queremos bem.

Quando nos voltamos ao âmbito da fé e da religião, vemos muitas coisas na Igreja que não apreciamos, não gostamos como os outros gostam. Mas isso não nos dá o direito de colocarmos veneno, de colocarmos as pessoas para criticarem, para falar mal, para jogar pedras em quem faz, pensa e evangeliza diferente de nós. A evangelização ou o trabalho que realizamos não é para nossa edificação, mas sim para construir o Reino de Deus.

Não temos o direito nem a autoridade para criticar o trabalho de ninguém, para menosprezar, colocar dificuldade nem para colocar as pessoas umas contra as outras. Não gostamos nem comungamos com aquelas pessoas que exaltam a si mesmas e sempre estão colocando os outros de forma rebaixada, colocando o que eles fazem de forma desprezível. Não se constrói dessa forma o Reino dos Céus.

Purifique-se do veneno e de toda maldade, até mesmo no âmbito religioso. Se você não gosta, não há problema, mas não envenene as situações.

Deus abençoe você!

repensando-a-vida

Adquira em nossa Loja Virtual o livro do padre Roger


Comentários