03 dez 2014

Precisamos nos preocupar com a fome no mundo

Nós precisamos nos preocupar com a fome no mundo, seja com a fome de Deus ou de alimento material. Um cristão não se conforma com as injustiças deste mundo; pelo contrário, ele se torna solidário. Tudo o que temos, podemos repartir com quem não têm!

“Jesus chamou seus discípulos e disse: ‘Tenho compaixão da multidão, porque já faz três dias que está comigo, e nada tem para comer’” (Mateus 15, 32).

Jesus tem compaixão do Seu povo, Ele é movido por um sentimento de amor e de ternura para com os Seus e para com os sofrimentos do Seu povo. Quem se compadece sofre junto, não é indiferente à dor, ao sofrimento, à fome nem à carência que o outro têm. É por isso que a Palavra de Deus, hoje, está nos dizendo que, no banquete do Reino de Deus, o Senhor sacia toda a nossa fome.

Primeiro, a nossa fome de Deus, a nossa fome de eternidade, de paz e amor; a nossa fome das coisas do céu. A fome que sente a nossa alma e o nosso espírito de eternidade é saciada pelo próprio Jesus! Ele mesmo se torna presente no meio de nós, pelo Seu Corpo e Seu Sangue. O poder e a autoridade que Ele tem para multiplicar os pães é o mesmo que tem para transformar esses pães em Seu Corpo. Sim, para nos alimentar espiritualmente, para nos deixar fortalecidos na fé, para não desanimarmos na caminhada.

Nós precisamos nos alimentar, nos revestir de Cristo; nós precisamos fazer de Cristo Jesus o alimento da nossa vida. Uma vez que somos alimentados pelo Senhor, o Espírito d’Ele também está sobre nós! Assumimos em nós os mesmos sentimentos de Cristo Jesus, temos compaixão dos sofrimentos do próximo e, por isso, nos tornamos alimento, presença de Jesus para ele, nós alimentamos o outro espiritualmente com a nossa presença.

Precisamos também saciar a fome de quem tem fome de alimento material; não podemos simplesmente relativizar, nos tornar indiferentes à dor, ao sofrimento, à doença, à enfermidade e às chagas que o nosso próximo padece.

Jesus não teve nem um pouco de coragem de deixar Seu povo partir com fome, por isso se preocupou em alimentá-los. Nós precisamos nos preocupar com a fome no mundo, seja com a fome de Deus ou de alimento material. Um cristão não se conforma com as injustiças deste mundo; pelo contrário, ele se torna solidário. Tudo o que temos podemos repartir com quem não tem!

Às vezes, tornamo-nos consumistas em excesso, preocupamo-nos em comprar nossas coisas, encher nossas casas disso ou daquilo e não nos preocupamos em ser solidários. E como é que a solidariedade cristã acontece em nossa vida? Quando fazemos o que Jesus fez: o pouco pão que temos nós dividimos, e tudo que é dividido se multiplica.

Sim, a primeira preocupação de Jesus não foi multiplicar, mas dividir, por isso a multiplicação aconteceu. Quando nos preocupamos com quem não têm, nosso guarda-roupa não fica cheio de roupas sobrando, sem saber quem vai usar; não teremos uma quantidade enorme de sapatos a nosso bel-prazer. Nós nos lembraremos de quem não têm e não encheremos a nossa despensa de alimentos, preocupados só conosco; nos preocuparemos com quem não têm e repartiremos o que é nosso com o outro.

Que Deus, hoje, nos ensine, a partir do Seu próprio coração, alimentado com Seu Corpo e com Seu Sangue, a nos preocuparmos em alimentar a fome e a sede dos nossos irmãos.

Deus abençoe você!

Comentários