15 jun 2014

Precisamos manifestar o amor de Deus para as pessoas!

O amor só é pleno, verdadeiro e autêntico quando é vivido na dimensão comunitária, o amor que se dá, que se recebe e que circula.

“Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna” (João 3, 16).

 

Nós hoje celebramos a Solenidade da Santíssima Trindade. O que nós estamos, na verdade, contemplando hoje é o mistério maravilhoso da presença de Deus em nós.

Que Deus é este? Quem é o Deus em quem nós cremos? Nós talvez encontremos no mundo pessoas que não conheçam, não saibam, na verdade, quem é Deus e, então, nós precisamos dizer quem é o Deus em quem cremos. Só existe um Deus e não há outro e esse mesmo Deus se apresenta a nós em Sua face paterna na pessoa do Pai, Aquele que fez todas as coisas e por amor nos criou. O Pai a quem nós adoramos, reverenciamos e diante do qual nós nos prostramos diante da Sua presença. Deus e o Senhor de todas as coisas!

Esse mesmo Pai, por amor a nós, no princípio de todas as coisas criou o mundo com Seu Filho Jesus. É óbvio que o Seu Filho não se chamava Jesus, desde toda a eternidade Ele foi gerado com o Pai, mas Ele se encarnou e se fez um de nós na pessoa de Jesus.

Jesus é a mão de Deus que nos salva, que nos livra da condenação, que nos conduz para o caminho da vida eterna! A manifestação amorosa de Deus no meio de nós acontece na pessoa do Seu Filho. E o Pai, que não nos deu conhecer a Sua face, nos permitiu conhecer a Sua manifestação amorosa na pessoa de Seu Filho Jesus, que assumiu uma face humana, assumiu o nosso jeito de ser, assumiu a nossa aparência humana. Jesus, o Filho de Deus, é nosso Salvador!

E para que não ficássemos sós, para que fôssemos totalmente refeitos em nossa natureza humana, decaída por causa do pecado, é que o Pai nos deu a Sua face restauradora, que se chama “Espírito Santo”. O Espírito, que é criador, que é salvação, que é santificador e que estava com o Filho e junto com o Pai desde a criação de todas as coisas.

Nós hoje celebramos o Deus de amor, nós hoje celebramos o Deus que é comunidade. Deus não é sozinho! Deus é Pai, é Filho, é Espírito Santo! O amor não se completa só, o amor não se realiza sozinho; ele só é pleno, verdadeiro e autêntico quando é vivido nessa dimensão comunitária, o amor que é dado, recebido e que circula. O amor que vai do Pai, do Pai para o Filho; do Filho para o Pai; do Pai e do Filho para o Espírito Santo. E nesse círculo amoroso, a Trindade se derrama em nossos corações. E assim nós precisamos ser  manifestação do amor de Deus para as pessoas, para quem está ao nosso lado, para quem vive conosco.

Não há realização plena para o homem, para a mulher, para a natureza humana se não for na vivência do amor e ninguém pode viver amando a si mesmo. Precisamos amar uns aos outros para que o amor de Deus seja pleno em nós!

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários