27 jan 2008

O REINO DE DEUS ESTÁ PRÓXIMO,CUMPRIU-SE O TEMPO Mt 4,12-23

O Evangelho é uma narração global de vários aspectos da actividade de Jesus nos começos do Seu ministério: contactos humanos, curas, pregação.

Como membros da Igreja, somos associados à obra de Cristo, continuadores da Sua Missão. A nossa vida deve manifestar um desejo e esforço contínuos de conversão própria e ajuda através da palavra, contacto e testemunho de vida em Cristo aos nossos irmãos. Só assim poderemos ser verdadeiramente luz de Cristo.

Jesus começou seu ministério na Galiléia, agora passamos a destacar o conteúdo de sua mensagem. A expressão “o tempo está cumprido” se relaciona ao que já mencionamos acima, a respeito do cumprimento das antigas profecias. Todos os três evangelhos sinópticos indicam que Jesus começou seu ministério com esta mensagem, a passagem de Lucas 4, ilustra bem isto. Jesus visita a sinagoga de Nazaré, onde ele lê a famosa escritura de Isaias 61 a respeito do Messias, ele choca seus conterrâneos nazarenos, ao dizer que a tão esperada profecia se cumpriu, e que ele era o Ungido, sob o qual o Espírito do Senhor repousava.

A chegada do Reino, não vem para cumprir as promessas de Deus em termos políticos, como era o pensamento geral na época de Jesus. Seu exorcismo de demônios é um sinal de que, em antecipação à destruição final de Satanás e suas hostes no fogo eterno, Deus invadiu a esfera de ação de Satanás, como quem entra na casa do homem forte e o amarra antes de saquear os bens,(Mc 3:27). Seus milages de cura são sinais que apontam para a vinda do fim, quando a morte vai ser absorvida pela imortalidade.

A presença do Reino é bem expressada na Igreja quando ela confessa o senhorio de Cristo. Dizer que Cristo é Senhor hoje, não soa como soava no primeiro século, onde os mártires cristãos forjavam o crescimento da Igreja. A palavra Senhor, no grego kyrius, era usada para se referir ao Imperador. Dizer que Cristo é o Senhor, é dizer que ele reina no lugar do Imperador. Esta é uma frase subversiva, e tinha duras implicações para os primeiros crentes. A perseguição era inevitável para aqueles que obedeciam ao senhorio de Cristo.

A expectativa da Segunda Vinda anima os crentes deste século, ao ponto de muitos marcarem datas para a volta de Jesus, causando confusão e engano. Mas isto não deveria nos espantar, pois Jeus se referiu a estes falsos sinais, bem como a falsos cristos que apareceriam, querendo enganar, se possível, até os eleitos.

Essa afirmação esta no mesmo contexto de outra, que o Reino demoraria a chegar. Jesus se refere ao sofrimento que guerras e rumores de guerra trarão aos seus seguidores, no versículo 9, Jesus afirma quer os discípulos seriam levados aos tribunais, por causa do seu nome. Mas é necessário que o evangelho seja pregado a todas as nações, e aí virá o fim.

Jesus afirma que nem mesmo ele sabia quando viria o Reino. Jesus ensina a necessidade de vigiar, contando a parábola da figueira. “A incerteza quanto ao tempo da parousia significa que os homens devem estar espiritualmente despertos e prontos para encontrar o Senhor em qualquer ocasião que ele venha”.

Não podemos esquecer que a proclamação de Jesus é arrependei-vos e crede no evangelho. A proclamação do evangelho é inseparável do chamado ao arrependimento à fé.

Arrepender-se, no grego metanoia, significa mudança de pensamento, mentalidade. Aponta para uma mudança radical de vida. Não quer dizer contrição em conseqüência do pecado, mas algo muito mais profundo.

A mensagem de arrependimento foi proclamada por João Batista, Marcos indica que Jesus chamava os homens para que se arrependessem, já que lhes estava sendo oferecido o Reino de Deus como um dom presente, colocado a deposição de todos em antecipação ao fim do tempo.

O arrependimento é um dom de Deus, mas antes de tudo um mandamento. Só a graça de Deus, seu dom, nos capacita a receber o Reino, mas Jesus deixa clara a ordem, arrependam-se. Recebemos a graça de Deus, quando o obedecemos.

O arrependimento é inseparável da fé, “arrependei-vos e crede no evangelho”. Não existe base para a tese, segundo alguns, que o chamado ao arrependimento é para os judeus, e a chamada a fé, para os gentios, com base de uma dispensação antiga, que se dizia que o requisito era a salvação pelas obras, e que nós vivemos a era da graça, salvação pela fé. Já no Antigo Testamento, Abraão foi justificado pela sua fé, como diz Gênesis 15:6.

A mensagem de Jesus a respeito de Reino de Deus é a proclamação por palavras e atos de que Deus está agindo e manifestando dinamicamente sua vontade redentora na história. Deus está buscando os pecadores: ele os está convidando a entrar no Reino e participar da benção messiânica; ele está solicitando deles uma resposta favorável à sua oferta graciosa. Por isso chama Pedro, André, Tiago e João seu irmão e fâ-los já participar da Sua missão. E eles deixando tudo, aderiram à mensagem do Mestre e o seguiram. O Pedro, André, Tiago e João sou eu, és. Cristo passando pelas nossas ruas e cidades, continua chamando homens e mulheres à conversão e ao arrependimento, porque na verdade “ o Reino de Deus está próximo”.

Comentários

Outubro

51%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários