12 maio 2015

O Paráclito nos prova que o bem e a verdade nos salvam

O Paráclito nos prova que o bem e a verdade nos salvam. Render-se ao Espírito Santo de Deus é ter a convicção de que o mal não tem a última palavra em nós e de que somente Jesus nos liberta das trevas.

E quando ele vier, convencerá o mundo a respeito do pecado, da justiça e do juízo” (João 16, 8).

Abrir-se à graça do Espírito é se abrir à graça da verdade; a verdade que vem ao nosso encontro para nos convencer do que é o erro e do que é a verdade. O Espírito é convincente, porque nós temos as nossas verdades e as nossas convicções, mas, aqui não se trata de uma verdade qualquer nem de uma convicção que vem dos nossos subjetivismos. Não, é a verdade suprema e última de todos nós!

Então, primeiro o Espírito nos convence da existência do pecado; e o maior e grande pecado é não crer que Jesus é o enviado de Deus. O grande pecado é não nos rendermos ao amor de Jesus, porque nós cremos que Jesus é Nosso Senhor, cremos na vinda d’Ele, mas só o Espírito de Deus pode nos convencer de que só há vida quando nos rendemos ao amor de Jesus. E o grande pecado é não nos entregarmos, é não nos rendermos ao amor que Jesus tem por cada um de nós.

O Espírito Santo de Deus nos convence, a cada momento, de nossas fraquezas, dos nossos limites; o Espírito nos convence de que estamos no caminho errado e de que o único caminho é Jesus. Render-se ao Espírito é se render à convicção da existência do mal para aceitar a verdade. Sim, ter a convicção de que o mal não tem a última palavra em nós e de que é Jesus quem nos liberta dele.

O Espírito de Deus nos convence da justiça; e a justiça é conhecer a verdade; ao contrário da injustiça que nega a verdade e prefere ensinar o mundo e as pessoas a permanecerem no erro, na escravidão e fazendo o mal. A grande injustiça é condenar o Senhor do bem à morte; e nós, muitas vezes, caminhamos nas injustiças porque não focamos a nossa vida no senhorio de Jesus.

É o Espírito Santo de Deus quem nos convence das injustiças deste mundo, é o Espírito quem nos convence do juízo; e o juízo é saber e ter a convicção de que o mal já está julgado e condenado. Não há como compartilhar e tentar convencer de que o mal é uma coisa boa, de que há bem no mal. O mal é mal, o erro é erro.

O errado pode sair do erro e conhecer o que é certo; quem está na mentira pode conhecer a verdade e sair dela [a mentira]. O que nós não podemos é ter comunhão com o mal e com o bem, porque o mal já está condenado. Precisamos nos convencer de que o que nos salva é o bem e a verdade. Por isso o Paráclito vem em nosso socorro, em nosso auxílio, para nos convencer destas três realidades: do pecado, da justiça e do juízo. É Ele [Paráclito] quem nós conduz a Jesus, Nosso Senhor e Salvador!

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários