02 jan 2017

O batismo purifica nossa alma

Permitamos que aquele batismo, um dia recebido, seja realmente a grande purificação da nossa alma

João respondeu: ‘Eu batizo com água; mas no meio de vós está aquele que vós não conheceis, e que vem depois de mim. Eu não mereço desamarrar a correia de suas sandálias’” (João 1,26-27).

João é a voz que não se cala, é a voz que anuncia e aponta o caminho, a direção de onde está o Cordeiro de Deus, aquele que nos salva, resgata-nos e liberta, sobretudo aquele que nos batiza.

Primeiro, o batismo de João: “Eu batizo com água”. João saiu do deserto, foi para as margens do rio Jordão e muitos recorreram a ele, porque escutaram suas palavras, a sua pregação contundente, ungida e cheia da graça de Deus, que está libertando almas e corações do poder do maligno.

Quando chegamos a uma conclusão de que o pecado só causa mal a nossa vida, precisamos querer nos libertar dele, sobretudo, porque ele causa uma mancha terrível em nosso interior, em nosso coração.

O batismo de João é um batismo simbólico, mas que realiza uma graça. Porque a graça vem primeiro na vontade, na pessoa querer, na disposição que ela tem. Essas pessoas vão até João, porque querem dizer: “Queremos sair dessa vida velha! Queremos abandonar os pecados que praticamos! Queremos nos lavar daquilo que nos manchou, que nos deixou mal, que deixou máculas em nossa alma! Queremos ser purificados e libertos!”.

É isso que João propõe a eles e Deus também propõe a nós. Que permitamos que aquele batismo, um dia recebido, seja realmente a grande purificação da nossa alma e do nosso coração a cada dia de nossas vidas.

João está muito consciente de que não é só a água por si mesma, ela não realiza a graça tão eficaz na vida. Quem realiza a graça é Jesus, o Cordeiro de Deus! Ele não só tira o pecado, mas nos dá a graça de sermos o homem e a mulher nova, a imagem e semelhança de Deus.

Se João foi grande pelo que fez, ele mesmo está dizendo: “Eu não sou digno nem de desamarrar a sandália dos Seus pés”, e aponta para Jesus. 

Precisamos nos apontar para Jesus, direcionarmo-nos para Ele, apontarmos para as pessoas o caminho de Jesus, pois n’Ele está a salvação, a luz e a graça.

Acordamos, a cada dia, precisando de uma luz interior, para as próprias questões da nossa alma, do nosso coração, da nossa própria vida. Às vezes, buscamos luz e soluções onde não está a luz nem a solução, e não nos dirigimos nem nos submetemos a Ele, não nos entregamos ao Seu senhorio, ao Seu domínio e cuidado, para que Ele seja a luz e a direção da nossa vida.

Jesus, rendemo-nos a Ti e proclamamos que és o nosso Senhor e Salvador!

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: mailto:padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários