19 ago 2015

O amor e a misericórdia de Deus são dados a todos

O amor e a misericórdia de Deus são dados a todos. Deus, desde a primeira hora, tem buscado o coração de todos, mas cada um chega a seu tempo, cada um chega no tempo em que consegue se abrir a Ele.

Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos” (Mateus 20, 16a)”.

 

Quem é acostumado com a justiça humana ou quem é acostumado, sobretudo, a ser justiceiro deve ter muita dificuldade para compreender o Evangelho de hoje, por meio do qual Deus fala ao nosso coração. Isso porque a justiça de Deus não é como a justiça humana; a justiça de Deus tem um primeiro peso que se chama “misericórdia”. Ao passo que a justiça humana tem outro peso, ela se faz de acordo com o peso dos valores.

Por isso, muitas vezes, nós não conseguimos compreender a lógica divina. Se um operário chegou para trabalhar na última hora, de acordo com nossa lógica, ele teria de receber o salário da última hora; já o operário que chegou para trabalhar na primeira hora deveria receber o salário da primeira hora. No entanto, no Reino de Deus, a misericórdia de Deus é de igual tamanho para todos conforme Ele a queira dar.

O primeiro ponto a ser observado é que, ao fazer isso, Deus não está sendo injusto, se Ele prometeu que nos daria isso, porque chegamos primeiro, Ele não vai tirar de nós aquilo que prometeu nos dar. A riqueza de Deus é tão grande! A nossa riqueza pode ser limitada, mas a do Senhor não o é! Ele dá de igual modo para o operário da primeira, da segunda, da terceira ou da última hora. É verdade que o salário do operário da última hora parece ser maior, porque ele pode ter trabalhado menos. Mas também é verdade que Deus, desde a primeira hora, tem buscado o coração de todos, contudo, cada um chega a seu tempo, cada um chega no tempo em que consegue se abrir a Ele.

Não é que os judeus – os chamados de “primeira hora” – vão ser considerados melhores no Reino de Deus do que nós, “pagãos”, no sentido primeiro da palavra, fomos considerados. Não, não é isso. A graça chegou primeiro ao povo de Deus, mas depois ela foi concedida a todos os povos. Isso serve também para tudo aquilo que nós fazemos, pode ser que você tenha nascido e crescido na Igreja, tenha trabalhado o tempo inteiro para Deus e alguém começou a servir a Deus esses dias ou no fim da vida ou como aquele ladrão, que estava na cruz ao lado de Jesus, que parece ter praticado o roubo a vida inteira e no momento final foi considerado digno da vida eterna. “Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso” (Lucas 23, 43).

[Para entender a dinâmica de Deus] A primeira coisa a ser combatida é o mal da inveja. O problema de olharmos para o “prato do outro” e nos esquecermos do nosso. Deus não deixa de encher o nosso prato, mas o nosso prato fica vazio porque olhamos para o prato do outro ser cheio e não cuidamos do nosso. Deus cuida do nosso coração, desde que não nos deixemos levar pela inveja com relação ao que Ele faz ao coração ou à vida do outro.

Deus tem uma graça só para nós e não nos preocupemos porque Ele não vai tirá-la de nós para a dar a outro, a não ser que a desprezemos e ela vá servir somente para outro. O amor de Deus cabe a todos, engloba a todos e quer chegar a todos. Contudo alguns, por inveja, por ambição e por se achar melhores que os demais, param no meio do caminho e outros seguem adiante!

Deus abençoe você!

Comentários