09 dez 2013

Jesus nos liberta da paralisia do pecado

Nós, que somos paralisados por causa do pecado, nos levantemos da prostração e vamos ao encontro d’Aquele que nos liberta de todo o mal.

“E Jesus disse: ‘Homem, teus pecados estão perdoados’” (Lc 5,20). 

 

Aquelas pessoas tentavam, de alguma forma, levar aquele paralítico, que estava em cima de um leito, para poder apresentá-lo a Jesus. Subiram até pelo telhado, arrancaram as telhas e, no meio da assembleia, apresentaram o homem paralítico ao Senhor Jesus. 

Jesus ficou comovido com tamanha fé. E antes de dizer ao paralítico que levantasse e andasse, a primeira coisa que o Senhor disse foi: “Teus pecados estão perdoados”, para que eu e você tenhamos convicção disto: de que nada nesta vida nos paralisa mais e nos mantém mais presos  – com nossos pés “embaraçados”  – do que os nossos pecados! 

Sabe, meus irmãos, nossa vida, muitas vezes, encontra-se parada e daí as pessoas querem recorrer a “isso” ou “àquilo”. “Por que a minha vida não anda?” “Por que a minha vida não vai para frente?” E, algumas vezes, até acumulando pecado sobre pecado. 

E hoje o Senhor também nos diz que os pecados – sejam eles quais forem – paralisam a nossa vida, quando nós acumulamos pecado sobre pecado, quando não nos arrependemos daqueles enlaces, correntes e redes, que o pecado vai criando em nós, para nos manter presos, para não nos dar a liberdade. De modo que, muitas vezes, o pecado é uma força maior do que nós: ele nos arrasta “pra lá e pra cá”, e é uma dureza quando o pecado vira vício! Qualquer vício! Vício de beber, vício das drogas, vício de mentir, vício de fofocar. Isso nos mantém cativos e escravos dele. 

A primeira coisa que precisamos pedir a Deus é a graça de sair da paralisia que o pecado causa em nós, sair do espírito da prostração, que o pecado causa em nós. É difícil, para uma pessoa escrava de algum vício, ter força até para ir à igreja, ser fiel aos sacramentos, como para procurar a própria graça da confissão. Porque, deixe-me lhe dizer, a vida espiritual dela está paralisada. 

Mas este homem do Evangelho de hoje viu que sua vida não podia continuar daquela forma. E muitas pessoas o ajudaram. Descobriram o telhado para levá-lo ao encontro de Jesus. 

Nós também precisamos levar os paralíticos ao Senhor. Se os primeiros paralíticos somos nós, então peçamos ajuda aos irmãos: “Me ajude, minha irmã! Me ajude, meu irmão! Me leve a Jesus, porque eu preciso d’Ele, para me libertar da paralisia que prende os meus pés”. 

Para isso, muitas vezes, no meio de nós, na nossa casa, na nossa família, precisamos abrir as portas, carregar pessoas no colo, abrir telhados, portas e janelas para levar tantos paralíticos ao encontro de Jesus. Quando o Senhor perdoa os nossos pecados, as nossas pernas, o nosso coração e tudo aquilo que começa a paralisar nossa vida sai da frente e, assim, a nossa vida começa a ter outro sentido e outra direção. 

Nós, que somos paralisados por causa do pecado, nos levantemos da prostração e vamos ao encontro d’Aquele que nos liberta de todo o mal! 

Deus abençoe você!

 


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários

Setembro

50%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários