26 out 2015

Deus retira de nós os espíritos malignos que curvam nossa vida

A graça de Deus, quando vem ao nosso coração, é para nos endireitar, para tirar de nós aqueles espíritos que nos deixam encurvados

Jesus colocou as mãos sobre ela e imediatamente a mulher se endireitou e começou a louvar a Deus” (Lucas 13, 13).

Essa mulher sofria, há dezoito anos, com um espírito que a tornava doente e encurvada; ela não conseguia se endireitar de forma nenhuma. Até que um dia Jesus a tocou e aquele espírito, que a deixava encurvada, saiu dela. A segunda coisa é que ela se endireitou e pôde ficar ereta e caminhar normalmente.

Sabe, meus irmãos, existem espíritos no meio de nós que vão curvando nossa vida e nosso proceder, deixando-nos como pessoas encurvadas na vontade, na disciplina e na disposição de mover a vida.

Existem espíritos muito negativos, com os quais nós, muitas vezes, não sabemos lidar; e eles vão crescendo em nós. Fico pensando no quanto é encurvada a vida de uma pessoa que cultiva o espírito de amargura, azedume e tristeza!

Sei que nenhum de nós quer ficar amargo, azedo ou triste. Há situações tristes que acontecem em nossa vida que nos deixam para baixo, mas não há problema em ficar triste, em passar por problemas difíceis. O problema é quando paramos ou permitimos que esses espíritos nos paralisem.

A tristeza é tolerável, porque todos nós passamos por isso; agora, passar a vida toda amargo e azedo por causa de um problema faz a vida da própria pessoa se amargar. Quem está ao lado dela, quem convive com ela também vai tornando um pouco amarga e azeda sua própria vida e existência.

Deixe-me dizer a você: Deus não nos quer encurvados, Ele nos quer direitos, retos. É por isso que a Sua graça, quando vem ao nosso coração, ao nosso encontro, é para nos endireitar, tirar de nós aqueles espíritos que nos deixam realmente encurvados.

É preciso olhar para frente; e “olhar para frente” é olhar, primeiro, para a graça de Deus, é permitir que ela entre, penetre em nós e nos purifique, lave-nos e renove-nos de tudo aquilo que está velho, mofado e estragado nosso interior.

É preciso retirar o azedume, a amargura, a tristeza, a mágoa, a decepção e a irritação que nos tira a alegria de viver. É preciso sacudir esses espíritos, para que a vida saia da curva na qual, muitas vezes, ela se encontra.

Deus abençoe você!

Comentários