05 set 2016

Cuidemos dos que estão à margem da vida

A Igreja de Jesus não pode ser diferente do que Seu Mestre fez, não pode deixar as pessoas à margem e ter distinção de pessoas

“Levanta-te, e fica aqui no meio”. Ele se levantou, e ficou de pé” (Lucas 6,8).

Um homem de mão seca aproxima-se de Jesus, que é movido pela compaixão, pelo amor, e quer este homem curado.

O problema é que era um dia de sábado e os fariseus estavam de olho em Jesus para ver se Ele iria transgredir a lei. A lei religiosa, as leis humanas, muitas vezes, discriminam, deixam pessoas de lado, não nos permitem viver e fazer a caridade, amar o próximo como ele deve e precisa ser amado.

O problema desse homem não é só porque a mão dele era seca, mas porque tal situação o afastava dos outros. Ele não vivia no meio da sociedade, mas à margem dela.

Sabemos que muitas pessoas, pelo que têm, pelas doenças ou alguma situação que vivem, encontram-se realmente afastadas e marginalizadas. Os preconceitos, a discriminação e tantos outros conceitos que a sociedade cria deixa muitos filhos de Deus afastados do nosso meio e convívio.

Olho para nossas realidades de igreja, de comunidades, onde são sempre aquelas mesmas pessoas, convertidas, santas, especiais, privilegiadas, que estão sempre no centro da igreja, estão sempre ocupando os melhores lugares, os primeiros bancos. Fico olhando para as nossas festas, para as nossas reuniões e parece que é para um grupo de privilegiados, para quem está casado certinho, para quem tem uma vida exemplar e assim por diante.

Quando olhamos para a igreja que está ao nosso lado, vemos, de um lado e de outro, tantas pessoas que estão à margem, esquecidas e deixadas de lado. Até porque a prescrição de muitos dos nossos encontros, as leis de muitas normas de igrejas e comunidades é feita somente para privilegiar certos grupos.

Desculpe-me, mas o Mestre Jesus não quer saber dessas leis. Ele quer saber da alma, do coração da pessoa. Por isso, não importa a situação, quem está à margem Ele coloca no centro.

Os fariseus ficaram irados e revoltados com o que Jesus fez, e muita gente fica irada e revoltada quando colocamos alguém que não está dentro das normas da igreja no centro da preocupação e do amor. Precisamos fazer o que Jesus fez! A Igreja de Jesus não pode ser diferente do que Seu Mestre fez, não pode deixar as pessoas à margem e fazer distinção de pessoas. A Igreja de Jesus tem que amar principalmente os mais necessitados, não só materialmente, mas necessitados de afeto, de amor e de carinho!

Vamos cuidar do casal que está bem, mas quem merece estar no centro é o casal que não está bem, que está passando por crise, é aquele que está se separando ou aquela que foi abandonada pelo marido ou que vive uma situação difícil.

Temos que parar com a hipocrisia de levantar a bandeira só para o que está certinho e correto. A nossa missão não é levantar a bandeira, é cuidar dos que estão sofrendo, dos que estão à margem e realmente secos por causa deste mundo. Precisamos levantá-los na dignidade e no amor, trazê-los para o centro e não deixá-los à margem ou separados.

Deus abençoe você!

Comentários