21 Jul 2011

A compreensão do Evangelho conduz à sabedoria e salvação

Jesus fez uso deste expediente que são as parábolas. Por que não teria sido “mais claro” em Seus ensinamentos, ainda mais quando parece que o uso desse recurso [as parábolas] era para que o Senhor não fosse entendido por Israel? Não seria este um contrassenso diante da missão de Jesus aqui na terra?

Em primeiro lugar, devemos observar que Cristo usou parábolas em Seus ensinamentos para cumprir a Palavra de Deus expressa no Salmo 78,2. Em segundo lugar, Jesus tinha uma tarefa singular em Seu ministério: fazer o Pai conhecido dos homens, dizer ao mundo que Ele veio para salvar a todos e tirar o pecado do mundo.

Uma das características fundamentais de todo mestre é ter e compreender os alvos do seu ministério de ensino. Jesus, o Mestre dos mestres, tinha esta compreensão e sabia que tinha de fazer o Pai conhecido dos homens. Era necessário que se desse atenção especial aos alunos e, para que o aluno fosse o elemento mais importante, Cristo tinha que se fazer entendido e compreendido por eles. E isso só seria possível se Ele descesse ao nível do aluno, ou seja, se utilizasse um método com o qual o aluno estivesse acostumado e elementos que lhe permitissem entender as verdades espirituais a respeito de Deus.

Jesus tinha de usar as parábolas, pois era o método que, ao mesmo tempo, permitiria que todo o povo de Israel, que eram os Seus potenciais alunos, pudesse ter real acesso ao conhecimento do Pai, seja pelo fato de que já estavam acostumados a este método de ensino, seja porque a linguagem empregada permitiria uma fácil compreensão de todos quantos quisessem aprender.

Jesus Nazareno quer que o ensino da Sua Palavra se faça de modo claro e acessível a todos os ouvintes, respeitando-se, pois, as condições culturais, educacionais e sociais dos ouvintes. Cristo ensinou por parábolas para que o povo de Israel não tivesse qualquer desculpa com relação à rejeição do Messias.

Ao ensinar por parábolas, o Senhor fazia uso de imagens que todos pudessem compreender. Jesus ensinou por parábolas para mostrar que só não compreende o Evangelho quem não o quer. Suas simples palavras podiam ser perfeitamente compreendidas por ouvintes sinceros, e torná-los sábios para a salvação.

Ao ensinar por parábolas, Nosso Senhor Jesus Cristo foi claro, se fazia compreensível a todos, mas esta compreensão exigia, pelo uso do método das parábolas, uma disposição de aprendizado por parte dos ouvintes, uma vontade de um maior aprofundamento, tanto que somente os discípulos, depois de algumas parábolas, demonstravam interesse em aprender as coisas de Deus e, assim, chegavam a pedir ao Senhor que lhes explicasse a parábola de forma mais detalhada. Jesus, assim, tinha o objetivo de mostrar claramente quem tinha e quem não tinha interesse em conhecer o Pai. Em outras palavras, quem, realmente, amava a Deus, a ponto de não ser mais chamado servo, mas amigo do Senhor (cf. Jo 15,15).

O uso de parábolas por Jesus estaria, também, relacionado com uma estratégia de sabedoria e de prudência do Senhor para que, diante da oposição crescente ao Seu ministério, não tivessem Seus adversários do que acusar o Senhor antes de ser chegada a Sua hora. Entre as multidões que O rodeavam, havia sacerdotes e rabinos, escribas e anciãos, herodianos e maiorais, amantes do mundo, beatos ambiciosos que desejavam, antes de tudo, achar alguma acusação contra Ele. Espiões seguiam-lhes os passos, dia a dia, para apanhá-Lo nalguma palavra que Lhe causasse a condenação e fizesse silenciar para sempre Aquele que parecia atrair para Si o mundo todo. O Salvador compreendia o caráter desses homens e apresentava a verdade de tal maneira que nada podiam achar que lhes desse ensejo de levar Seu caso diante do Sinédrio.

Em parábolas, o Senhor Jesus censurava a hipocrisia e o procedimento ímpio daqueles que ocupavam altas posições e, em linguagem figurada, vestia a verdade de tão penetrante caráter que, se esta fosse apresentada por intermédio de acusações diretas, os ouvintes não dariam ouvidos às Suas palavras e teriam dado fim rápido ao Seu ministério. Portanto, eis a razão pela qual Jesus falava em parábolas.

Padre Bantu Mendonça


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários

Novembro

40%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários