24 mar 2015

A graça de Deus nos purifica do pecado e da murmuração

A graça de Deus nos purifica do pecado e da murmuração, essa erva daninha faz de nós pessoas murmuradoras que reclamam de tudo e de todos.

“Quando alguém era mordido por uma serpente, e olhava para a serpente de bronze, ficava curado” (Nm 21, 9).

O povo de Deus, na longa viagem feita durante a travessia do Egito rumo à Terra Prometida, vive várias situações fazendo-o perder a paciência. E sabemos que, quando perdemos a paciência, começamos a reclamar, a murmurar e, muitas vezes, até a maldizer. Foi isso que esse povo fez, porque, quando estamos no extremo da impaciência, não somos mais capazes de raciocinar com lógica; pelo contrário, nesses momentos o nosso raciocínio é todo corroído e passamos a olhar as coisas a partir daquilo que nos incomoda.

Esse povo se esqueceu da mão prodigiosa do Senhor, que o tirou aos poucos daquela situação de servidão, conduziu-o pelo deserto afora, o fez atravessar o mar e o ajudou a vencer os inimigos e, naquela hora, continuava a caminhar com todos eles. Quando o azedume da murmuração, a erva daninha da reclamação e a maldade da fofoca invadem os nossos corações, nós nos tornamos pessoas azedas e mesquinhas que veem problema em tudo e não somos capazes de agradecer nem de reconhecer a mão de Deus a nos conduzir.

Por isso, o povo começou a reclamar e a murmurar contra Moisés e contra Deus, e como isso foi duro! Deixe-me dizer: a murmuração e a reclamação por si mesmas são uma praga e toda praga provoca doença, enfermidade e mal-estar. Aquele povo caiu doente, aquele povo que murmurou contra o Senhor ficou enfraquecido por serpentes venenosas.

Quem murmura, reclama e fofoca experimenta do próprio veneno, e é um veneno maldito tudo aquilo que vem das nossas murmurações. É por isso que estamos, tantas vezes, muito fracos, doentes, esmorecidos, sem gosto e sem sabor pela vida, porque permitimos, com o nosso azedume, azedar o bom leite que Deus nos dá e a boa graça que o Senhor nos concede.

Quando esse povo cai doente, o próprio Deus tem misericórdia e manda Moisés fazer uma serpente de bronze [para curá-los]. A serpente de bronze, que representa a imagem do Cristo levantado na cruz, é o remédio que nos salva! Se fomos picados pelo veneno do pecado, agora o ar da graça nos salva e nos redime!

Que Deus hoje, na Sua infinita bondade e na Sua infinita misericórdia, nos dê a graça de sermos purificados dos nossos pecados e, sobretudo, tire de nosso interior essa erva daninha, que corrói e corrompe o nosso coração e faz de nós pessoas murmuradoras que reclamam de tudo e de todos.

Que Deus nos dê a graça de enxergar mais além, de reconhecer os prodígios d’Ele feitos por nós e que a mão d’Ele tem sido prodigiosa em nosso favor.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários

Outubro

53%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários