22 fev 2008

A FÉ DE PEDRO Mt 16,13-19

Quem dizem os homens que eu sou? Uns dizem que és João Baptista outros que és Elias ou um dos profetas. E vós, quem dizeis que eu sou?  Pedro tomando a palavras diz: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente .O apóstolo  conhecido por diversos nomes : Simão, como Pedro, como Simão Pedro como Kefas em nome dos doze, responde: Tu és o Cristo, Ungido, o Filho do Deus vivente.

O nome de Filho de Deus é uma expressão usada por Oséias em 2, 1: Aos filhos de Israel…se lhes dirá filhos do Deus vivo, o qual concorda perfeitamente com a frase de Mateus e a confissão de Marta: Eu creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, que vem a este mundo (Jo 11, 27).

Embora Pedro não soubesse o sentido das palavras que pronunciou, Jesus se serviu das mesmas para fundar sua Igreja.

Então tendo respondido Jesus disse-lhe: Bendito és Simão porque carne nem sangue te revelaram, mas o meu Pai o que está no céu. A carne e o sangue não te revelaram o que disseste. Foi o meu Pai nos céus que revelou o Filho a Pedro. Pois, descreve João em 6, 36: Todo aquele que o Pai me der virá a mim. Jesus considerou esta declaração de Pedro de tal importância que afirma duas coisas que sem dúvida transformarão a personalidade e o ministério do apóstolo.

E por isso te digo que tu és rocha e sobre esta rocha edificarei minha Igreja. E as portas do inferno não prevalecerão sobre ela

A) Tu és Pedro: Com esta primeira declaração, Jesus além de trocar o nome do apóstolo, que agora seria Kefas, como vemos nos primeiros escritos (Gálatas e 1Cor), significa seu novo ministério: ser fundamento de um edifício como a rocha era e é em todos os tempos.

B) Igreja: Sobre esta Rocha edificarei a minha Igreja. Jesus usa a palavra Igreja  que só aparece uma outra vez em Mateus 18, 17 com o significado de assembléia e nunca em outros evangelhos.

C) O Inferno: Esta Igreja que começou com Pedro-rocha será a última e eterna como reunião do povo eleito porque as portas do Inferno não prevalecerão contra ela. Se a afirmação de rocha como personalidade de Simão não fosse suficiente, Jesus persiste nos poderes e qualidades do seu apóstolo ao declarar seu papel primordial nessa grande assembléia dos eleitos, cuja perpetuidade descreve com palavras tomadas da tradição judaica. Fala dos portões do inferno. Como conclusão, podemos afirmar que a nenhum outro apóstolo foram dadas essas chaves que indicam o total domínio da Igreja. Pedro, além de ser a rocha sobre a qual o fundamento da fé que é Cristo, edificará sua Igreja terá as chaves para indicar quem deve ser incluído ou excluído. Estas chaves têm os seguintes significados:

a) O chefe do palácio era quem recebia as chaves (Is 22, 22) e, portanto era o dignatário de maior hierarquia.

b) Se ligadas ao parágrafo posterior, às chaves servem par abrir e fechar, para admitir a entrada dos dignos e para expulsar os indignos.

 c) Mas também, as chaves são o símbolo do ato de sentenciar questões religiosas como declarar lícita ou ilícita uma conduta.

Que cada um de nós saiba como Pedro professar a sua fé no Cristo Filho do Deus vivo, nada e alguém poderá prevalecer sobre nós.

Comentários

Outubro

51%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários