05 mar 2015

A face de Cristo é a face do pobre sofredor

A face de Cristo é a face do pobre sofredor, que está entre nós na pessoa do pobre, do sofredor e do marginalizado.

“Filho, lembra-te de que recebeste teus bens durante a vida e Lázaro, por sua vez, os males. Agora, porém, ele encontra aqui consolo e tu és atormentado” (Lucas 16, 25)

 

A parábola que nós ouvimos no Evangelho de hoje apresenta duas faces extremas da vida humana: a face triste e a face da suprema felicidade. A face da felicidade passageira e a face da tristeza e do sofrimento passageiros.

Nós, aqui na Terra, olhamos ao nosso lado e vemos como doem as profundas desigualdades, encontramos pessoas extremamente ricas, que não sabem o que fazer com tanto dinheiro. Do outro lado, nós temos pessoas extremamente pobres, as quais bastava a migalha do que cai da mesa de quem tem tudo para que sua vida fosse um pouco melhor.

Num mundo de tanta prepotência, arrogância e avareza, o que não dá para negar é que o mundo em que vivemos é injusto. Injusto de forma social, humana, um mundo que faz pessoas terem tudo que querem, enquanto outras não têm o mínimo necessário para sobreviver.

Jesus não amaldiçoa a riqueza nem exalta a miséria, mas Ele põe a condição de que, neste mundo, Ele se disfarça e se encontra no mais pobre entre os mais pobres de nós e fecha Seu olhar para aquele que é arrogante, para aquele que é avarento e opulento, que tudo tem, que tudo possui, mas se esquece do pobre, do necessitado e do Lázaro de outrora.

Cristo está em todos os Lázaros ao nosso lado. A face de Cristo é a face do pobre sofredor, a face de Cristo é a face daquele que não tem o que comer, não tem o que beber, que está doente, que está enfermo, que está indigente.

A face de Cristo, sofrida, se opõe à face do homem que tudo tem e não se lembra dos seus irmãos. Não é castigo, é consequência: no Reino de Deus as coisas se invertem, enquanto o pobre, aqui nesta Terra, só recebe o menosprezo e a ofensa, no Reino eterno existe um lugar muito especial reservado aos pobres, aos marginalizados e àqueles que são classificados como desqualificados; todos eles têm um lugar de honra no Reino dos Céus. Ao passo que, quem não se lembrou dos pobres, quem não cuidou deles e se comportou de maneira orgulhosa e prepotente não tem lugar no Reino dos Céus.

O Reino de Deus começa a acontecer aqui, ele é um reino de justiça e de verdade. Justiça é, em tudo o que fizermos, não nos esquecermos dos mais pobres. Como eles [pobres] precisam de nós, precisam do nosso amor, precisam da nossa atenção e, sobretudo, da nossa partilha!

Você pode não ser tão pobre e tão indigente como o pobre do Evangelho, mas você tem um pouco para repartir com aqueles que nada têm, e se você tem muito pouco, reparta o seu pouco, mas, sobretudo, não se esqueça de dar a si mesmo em favor do outro.

No Reino de Deus, no colo e no seio do pai Abraão, tem lugar para os Lázaros e para todos aqueles que cuidaram das feridas e das necessidades deles.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários