23 ago 2011

A conversão nos orienta para os valores eternos

Assim como dentro de nós estão os sentimentos ruins e inimigos, também é dentro de nós que o Reino dos Céus acontece. Ele é como um tesouro que está escondido dentro do nosso coração no meio do campo da nossa humanidade ou uma pérola preciosa que é buscada por nós e que precisa ser encontrada.

Quando nós descobrimos que dentro de nós há a riqueza do Reino de Deus, do amor do céu, aos poucos vamos substituindo o que estava em nós – as outras coisas que nos prendiam na vida e que são nossas inimigas – e vamos nos apossando da riqueza que gera amor, paz, alegria, consolo, fortaleza, mansidão, compreensão, esperança, vitória, felicidade, mesmo em meio às dificuldades.

É o que significa “vender tudo o que se tem e, com alegria, comprar o campo” – nosso corpo! – que possui um tesouro escondido, pois, como diz São Paulo, o corpo humano é o templo do Espírito Santo de Deus (cf. I Cor 6,19).

Nosso corpo só pode ficar cheio de ódio por obra do diabo, que, por atitudes e pensamentos amargos, consegue se infiltrar no ser humano. Descoberto o tesouro escondido em nós conseguimos nos livrar do poder dele. Aliás, é somente pelo poder do Nome de Jesus que este ódio será expulso e acontecerá a plenificação do Reino de Deus em nós.

Este Reino de Deus é conversão, é mudança, é transformação firme e gradual que vai se manifestando por meio do nosso modo de ser e de agir dentro do mundo, do Brasil, de cada Estado, cidade, casa e do nosso próprio coração. Porque ficamos mais alegres e felizes quando sentimos as primeiras demonstrações do Reino de Deus em nós, percebemos também que o dom da misericórdia acompanha a nossa caminhada e as nossas ações. Então, nos tornamos pessoas mais compreensivas, mais amorosas e mais comunicativas.

Não se esqueça de que a conversão exige a fé. Esta, por sua vez, exige a adesão ao Evangelho. Assim começa o Reino de Deus, conforme Jesus anunciou e nos mandou seguir: “O Reino de Deus já está no meio de vós e eu vim a este mundo para instaurá-lo” (cf. Lc 17,21 e Mc 1,38). Só que este Reino está escondido. É preciso descobri-lo e, uma vez descoberto, nos convertermos a ele conforme a exigência de Jesus: “Convertei-vos e crede no Evangelho” (Mc 1,15).

Para seguir numa conversão – segundo o plano que Jesus traça – é preciso deixar tudo e abraçar essa vida nova que Ele chama de “um tesouro” ou “uma pérola”. Pensemos, por exemplo, no amor à verdade, na prática da humildade, na caridade que se deve ter para com o próximo. Tudo isso é a pérola que encontramos no ensinamento de Cristo. Esse ensinamento é radical.

A conversão nos orienta para os valores eternos, sem nos esquecermos dos valores terrenos. Portanto, a pessoa convertida é mais gente, porque valoriza o que possui de humano, em vista do divino.

Você já sente as primícias do Reino de Deus? Você já tem vislumbrado a pérola e o tesouro que tem no seu coração? Onde está o Reino dos Céus? Quais são os sentimentos que você guarda no seu coração?

Padre Bantu Mendonça


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários

Setembro

50%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários