27 fev 2017

O Reino dos Céus é dos desprendidos

Para o Reino do Céus começar em mim preciso viver a dinâmica do desprendimento

“Bom Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?” (Mc 10,17)

Sabemos que este jovem, que se aproxima de Jesus, era um homem bom, virtuoso, praticava a lei de Deus e queria ganhar a vida eterna.

Uma coisa importante de dizer, na interpretação dessa passagem bíblica, é que as pessoas entendem a vida eterna como a vida depois da morte. Mas para Jesus a vida eterna é o Reino de Deus que vem até nós. Não vamos entrar na vida eterna, no Reino de Deus, só depois de morrermos, pois a vida eterna começa agora. Não é preciso morrer, esperar para entrar nos Reino do Céus. Deus veio até nós para instalá-lo em nosso meio.

O que é preciso para entrar agora, neste momento, no Reino do Céus? Não basta fazer uma coisa e deixar outra. Entramos no Reino dos Céus quando observamos os mandamentos.

Não podemos deixar os mandamentos de Deus do lado, aqueles 10 que aprendemos: Amar a Deus sobre todas as coisas; não tomar o santo nome d’Ele em vão; honrar pai e mãe; guardar os domingos… E todos os outros vividos na intensidade, na graça, pois eles nos introduzem no Reinos do Céus.

O homem diz: “Mas eu já os observo desde criança, aprendi em casa a observá-los”. O Senhor lhe diz: “Só te falta uma coisa”. Se o jovem está perguntando, é porque ele não está no Reino de Deus ainda. Ou seja, ele observa o que lhe falta agora. Eu já faço isso, o que está me faltando? Falta o desprendimento, porque o Reino dos Céus é dos desprendidos, de quem é solidário com quem sofre, com quem é pobre ou tem necessidades.

Jesus não diz que o jovem tem de deixar seus bens; o problema é que ele não divide o que tem com quem não tem nada. O problema é que o pouco que temos só pensamos em nós, na nossa vida, na nossa casa. Deixe-me lhe dizer: tornamo-nos pessoas egoístas, orgulhosas, por isso não temos espaço para o Reino dos Céus em nosso coração, o qual vive o egoísmo, o orgulho.

Podemos ser bons em tudo, mas falta a graça da partilha, do desprendimento. Jesus diz: “Vai e vende”, numa dimensão mais radical da Palavra, porque parece que tudo o que aquele jovem tinha deixava-o preso, amarrado.

Não vamos vender tudo o que temos, porque não é essa a dinâmica da vida à qual somos chamado a viver de uma forma mais radical, mas não podemos ser apegados a nada! Quando não conseguimos nos desprender, não vivemos a dinâmica do Reino de Deus; e o principal, não conseguimos seguir Jesus.  

A pior desculpa que escuto de alguém é: “Eu não tenho tempo para Deus. Sou de Deus, rezo em minha casa, mas não tenho tempo”. Sabe por que as pessoas não têm tempo? Porque estão demasiadamente ocupadas em suas riquezas.

Às vezes, a riqueza da pessoa não é nada, mas é aquilo que ocupa o coração dela. Então, entramos, hoje, nos Reino dos Céus, por causa de três pontos: observar os mandamentos, desprender-me e partilhar o que tem, e seguir Jesus. Se fizermos isso, o Reino dos Céus, a vida eterna começará agora no meio de nós.

Deus abençoe você !


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários