27 jun 2012

Atentemo-nos aos falsos profetas

Jesus, no Evangelho de hoje, chama-nos a uma vigilância redobrada. Devemos estar sempre de sobreaviso com os falsos profetas: “Cuidado com os falsos profetas!”. Mas quem são eles e o que fazem? São pessoas que querem nos convencer de que há “novas mensagens” de Deus; o objetivo é tirar vantagens da nossa credulidade.

Eles chegam disfarçados de ovelhas, mas, por dentro, são lobos selvagens. São todos aqueles que se disfarçam colocando uma “capa” de humildade e mansidão para se parecer com os verdadeiros crentes, mas, na realidade, são ferozes destruidores, cujo intuito é tirar proveito dos imaturos, dos instáveis e dos ingênuos que lhes dão ouvidos, afastando-os de Cristo e da Sua Palavra.

Se estivermos em atenção máxima, o Senhor no-los declara: “Pelos seus frutos os conhecereis”. Talvez possam parecer convincentes pelas suas palavras e pela sua falsa aparência, mas eles se revelarão pelo seu procedimento. Lembra-nos Jesus que os espinheiros não dão uvas e os pés de urtiga não dão figos. Assim, toda árvore boa dá frutas boas, e a árvore que não presta dá frutas ruins. A árvore boa não pode dar frutas ruins, e a árvore que não presta não pode dar frutas boas.

Aqueles que, realmente, são de Deus dão bons frutos. Segundo São Paulo, “o fruto do Espírito é a caridade, o gozo, a paz, a generosidade, a benignidade, a bondade, a fé, a mansidão, a temperança, a bondade, a justiça, e  a verdade”.

Os falsos profetas serão reconhecidos pela falta destas virtudes, e serão denunciados pela Palavra de Deus. Seu destino é serem lançados no fogo, a perdição eterna.

A vocês meus irmãos, eu me dirijo. Que tipo de árvore você é? Pelos seus frutos será reconhecido se você é bom ou mau profeta. O mundo está cheio de profetas da desgraça. Por isso, chega dos que já temos!

Neste Evangelho, Jesus quer lhe dar uma chance de mudar de vida. Enxerte-se n’Ele – a Videira que tem como agricultor Seu próprio Pai – a fim de que possa dar frutos bons.

Quero lembrá-lo de que o bom profeta não é aquele que diz e faz o que o povo gosta e quer ouvir e fazer. Mas sim aquele que diz o que o povo deve fazer e ouvir para poder se salvar. Isso, muitas vezes, o coloca em risco, em perigo e até o leva ao derramamento de sangue.

Padre Bantu Mendonça

Comentários