31 jul 2014

Que Deus santifique o mundo e o nosso coração

A paciência e a tolerância geram muitos frutos de conversão, continuemos trabalhando intensamente para que Deus santifique, renove e purifique o mundo e o nosso coração.

“’Assim, pois, todo mestre da Lei, que se torna discípulo do Reino dos Céus, é como um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas’” (Mateus 13, 52).

 

Nós, hoje, acompanhamos a conclusão de uma série de parábolas que Jesus nos conta para nos fazer compreender o Reino dos Céus. Hoje, esse mesmo Reino é comparado ao homem que lança uma rede ao mar e de lá apanha peixes de todas as espécies, peixes bons, peixes mais ou menos bons, e peixes ruins, que não servem para nada. Depois ele vai recolher estes peixes e separá-los nas cestas.

O Reino de Deus é também comparado a um pai de família que tem nos seus tesouros coisas novas e também coisas velhas. Quando nós olhamos para essas duas parábolas nos recordamos também da parábola do joio e do trigo, que nos ajudam a compreender o mundo em que vivemos, a Igreja da qual participamos, o trabalho onde estamos inseridos. Porque em todas as realidades é assim: existem pessoas boas, pessoas menos boas, pessoas generosas, mas existem também muitas pessoas maldosas, convivendo lado a lado conosco; algumas vezes até numa mesma casa, numa mesma família.

Isso acaba gerando sérios questionamentos dentro de nós: “Como é que Deus tolera tanta gente má neste mundo? Como é que os maldosos até riem, zombam de Deus, zombam da Igreja, fazem maldade com as pessoas boas?

Vamos convivendo e crescendo num mundo confuso, onde, lado a lado, estão o trigo e o joio, estão os peixes bons e os peixes ruins. Deus nos pede a paciência, a tolerância, porque, na verdade, foi e é a mesma paciência que o Senhor teve e tem conosco. Nenhum de nós pode dizer que, no nosso coração, só existem coisas boas, o mundo é um espelho do que, muitas vezes, é o coração de cada um de nós. No mesmo coração que há sentimentos generosos, bondosos; gestos de bondade e de ternura e há também coisas maldosas e há sentimentos negativos. Há muita confusão, mentiras e falsidades dentro de nós.

E o que nós percebemos? Que Deus, em Sua infinita misericórdia, vai nos lapidando, nos lavando e nos renovando se nós nos deixarmos ser tocados, renovados e transformados por Ele. Como Deus age em nosso coração Ele também age no mundo; quantas pessoas que não valiam nada e Deus Pai, em Sua infinita misericórdia, as salvou, as renovou e as transformou. Que o digam São Paulo, Santa Maria Madalena, São Francisco de Assis, Santo Inácio de Loyola! Que o digam tantos homens e mulheres da nossa sociedade que um dia foram peixes de péssima qualidade e foram transformados pelo poder da Palavra de Deus!

Paciência, nem todo peixe ruim se transforma num peixe bom, mas no Reino de Deus, quando nós cremos, o joio pode ser transformado em trigo! A paciência gera muitos frutos de conversão, continuemos trabalhando intensamente para renovar, purificar, santificar o mundo e o nosso coração.

Se nós e nem aqueles que vivem na maldade aceitarmos a conversão e a mudança de vida, nos fim dos tempos Jesus, em Sua glória, virá para separar o que é bom do que é mau.

Deus abençoe você!

Comentários

comentário(s)

↑ topo