21 mar 2017

Tenhamos um coração misericordioso

O coração misericordioso de Jesus está sempre nos perdoando, dando-nos uma nova chance de nos reerguer

“’Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?’ Jesus respondeu: ‘Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete” (Mateus 18,21-22).

A pergunta de Pedro é também a pergunta do nosso coração: “Quantas vezes eu consigo suportar o erro e a ofensa do outro contra mim? Quantas vezes o meu coração consegue perdoar quando o outro falha, quando insiste em fazer aquilo que me ofende, que me machuca, quando erra contra mim? Eu consigo perdoá-lo até sete vezes?”.

Eu penso que nós temos de fazer a pergunta ao contrário: “Senhor, até quantas vezes Deus tem que me perdoar quando eu peco, quando eu falho, quando eu erro?”.

Quantas vezes você acha que Deus tem que nos perdoar? Eu imagino que se nós limitássemos a graça de Deus para sete, somente sete vezes Ele deveria nos perdoar, e nós já estaríamos a muito tempo excluídos da Sua graça. Poucos ou praticamente ninguém teria acesso ao Reino de Deus se a lógica, se a matemática divina fosse como a nossa lógica ou nossa matemática humana, se nós quiséssemos impor para Deus até o limite de quantas vezes Ele deve nos perdoar.

Eu me sento no confessionário para atender o pecador quantas vezes ele vier pedir perdão pelos seus pecados, e não sou eu quem condiciono se perdoo ou não, porque é só Deus quem pode perdoar os nossos pecados! E o coração misericordioso d’Ele está ali sempre nos perdoando, levantando-nos, dando-nos uma nova chance de nos reerguer.

Deus é bobo? Ele simplesmente aceita qualquer coisa? Não! Ele é justo, é misericordioso. Na Sua misericórdia, Ele não coloca limites para nos perdoar!

Quem experimenta ou vive a dimensão da misericórdia de Deus não pode ser diferente para com seu irmão e irmã. Não podemos colocar limites para a nossa condição de perdoar o outro. Aliás, se quisermos que o outro melhore, temos de usar o mesmo remédio que Deus usa conosco.

Deus vai nos perdoando, dando-nos uma chance para nos reerguermos, para nos levantarmos, não nos prostramos, não nos frustrarmos nem desanimarmos. É a misericórdia de Deus que vai nos colocando de pé, e precisamos, da mesma forma, usar de misericórdia para com nosso próximo!

Eu sei que, às vezes, cansamo-nos e, por isso, dizemos: “Não consigo mais perdoar essa pessoa! Eu não consigo mais! Já foi demais!”.

Quando você achar que perdoou demais, peça para Deus alargar o seu “demais” para a infinitude da Sua misericórdia. Quando você não tiver mais forças para suportar o problema do irmão, o pecado e a fragilidade do próximo na sua casa, no seu trabalho, seja lá onde você estiver, não recorra a sua miséria humana, mas sim à misericórdia de Deus.

A nossa miséria humana é muito limitada. Muitas vezes, não conseguimos perdoar nenhuma vez o erro do outro, mas como a nossa miséria humana é tão carente da misericórdia de Deus, usemos dela para nos relacionarmos uns com os outros.

Não é que a misericórdia faça bem apenas para o outro, ela faz bem para nós acima de tudo, ela nos cura, liberta-nos, faz de nós um ser humano mais pleno de Deus, do Seu amor e da Sua misericórdia. Por isso, não deixe de usar a misericórdia de forma plena e infinita para com as misérias do outro, pois Deus usa de misericórdia com nossas misérias.


Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários

Outubro

42%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários