25 maio 2011

Somos conhecidos pelos frutos que damos

Podemos fazer coisas boas e maravilhosas humanamente falando. Mas a verdadeira bondade, que nos projeta na santidade de vida, só a encontramos n’Aquele que passou por este mundo fazendo o bem! Ele hoje nos chama a seguir Suas pegadas. Jesus se autoproclama a videira, cujo dono é o Seu Pai: “Eu sou a videira verdadeira, e o meu Pai é o lavrador”. Existe uma estreita relação entre a simples árvore e o lavrador, ou seja, o dono. Ele trata dela com muitos cuidados esperando que, no devido tempo, possa dar uvas que produzam o delicioso vinho.

A metáfora que Jesus usa neste Evangelho quer realçar primeiro a íntima relação d’Ele com o Seu Pai e depois a nossa ligação com Ele. Somos chamados a estar ligados, enxertados n’Ele, para que possamos dar frutos.

A íntima inserção dos ramos no tronco da videira é uma sugestiva imagem da unidade entre os discípulos e Jesus.

Dar fruto é o grande desafio. Não podemos nos conformar com uma paz aparente, só de “sombra e água fresca”, na qual a falta de coragem abunda decididamente! Somos conhecidos pelos frutos que damos. E cada um de nós – a responsabilidade é individual! – por vezes, temos tendência a delegar a função de “fazer discípulos”, de “pregar o bem”, de “dar fruto”, somente aos que, duma forma generosa e mais aberta, consagraram a sua vida a Deus. Mas não foi isso que Jesus disse. O Senhor foi taxativo!

Todos os ramos desta videira devem produzir os mesmos frutos, ou seja, os bons frutos. O prolongamento desta videira verdadeira não pode produzir maus frutos. A não ser que sejam maus ramos! Estes ramos, então, têm que ser cortados e lançados ao fogo, pois os ramos da Videira, que é Cristo, não podem, de forma alguma, produzir frutos ruins, tampouco estéreis. Os ramos que produzem o fruto ruim vêm de outra videira.

Pergunto a você: Que tipo de frutos você tem dado ao seu pai, mãe, esposa, esposo, filho, filha, vizinho, colega? Em que tipo de videira você está enxertado? Você percebeu: por haver uma relação indivisível entre Jesus e o Pai, Ele passou por este mundo fazendo o bem. E porque Deus é o Sumo Bem, Sua essência é a bondade. Então Seu Filho não poderia ser outra coisa! Seja você também um com Cristo e produzirá frutos bons.

Pai, reforça minha união com Seu Filho Jesus, de quem dependo para produzir os frutos que espera de mim. Amém.

Padre Bantu Mendonça

Comentários