19 out 2016

Sejamos cuidadosos com nossa vida

Peçamos a Deus para recobrar, para estarmos atentos e vigilantes, cuidadosos e responsáveis por esse dom maravilhoso que é a nossa vida

“A quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido!” (Lucas 12, 48).

 

A Palavra de Deus, que vem hoje ao nosso encontro, mostra-nos a necessidade de estarmos preparados, vigilantes e cuidadosos com a nossa vida.

Foi Deus quem nos confiou este dom, recebemos como presente o dom de viver e precisamos viver bem a cada dia. Precisamos cuidar da nossa vida e aplicar o melhor para que cada dia seja único.

Não podemos levar a vida de qualquer jeito, deixar que ela nos leve para qualquer lugar, de qualquer forma. Uma vez que nos foi dado juízo e responsabilidade, apliquemos o juízo que recebemos. E se nos falta o juízo, porque parece, muitas vezes, que o juízo foge, vai longe. Peçamos a Deus para recobrar, para acordar, para estarmos atentos e vigilantes, cuidadosos e responsáveis por esse dom maravilhoso que é a vida de cada um de nós.

A quem muito foi dado? A cada um de nós! Você está vendo ou ouvindo essa palavra que está sendo anunciada ao seu coração, porque você é um privilegiado, porque muito foi dado a você. Se você tem oportunidade de ouvir essa pregação, de ir à igreja, tem oportunidade de fazer tantas coisas na vida, outros não têm a mesma oportunidade.

As riquezas do Evangelho são semeadas no seu coração. Por favor, não seja aquela pessoa que faz as coisas de qualquer jeito, mais ou menos. Não nos aplicamos em viver o que meditamos, em dar rumo ao que nos propusemos a viver. Cuidar da vida com responsabilidade é, de fato, sermos aplicados a cada dia em melhorar a nossa vida.

É um tremendo engano, é uma ilusão de ótica, de mente, de vida, de coração, essa história de ficarmos adiando a nossa conversão e a nossa mudança de vida.

Há coisas que eram para ontem e não colocamos muito em prática, não mudamos o rumo. Muitos dizem: “Amanhã talvez”, mas pode ser que esse amanhã não chegue ou que amanhã também não demos conta, porque vamos levando e empurrando com a barriga, vivendo de qualquer jeito.

“Eu sou assim mesmo! Uma hora eu mudo!”. Pode ser que a nossa vida passe e, então, não fizemos o que era para ser feito. Aplicamo-nos nesta ou naquela coisa e não fomos diligentes, para com a graça de Deus, mudarmos o que precisa ser mudado na nossa vida.

Por isso, o Evangelho de hoje, está nos pedindo serenidade de espírito. A serenidade de espírito é essa capacidade de reflexão, de voltar-se para dentro da alma e perceber os passos que são dados, de realmente ter convicções daquilo que se quer viver. Se temos fraquezas, dificuldades, isso não é problema. O problema é não darmos passos para sermos melhores.

Deus nos deu muito e o que nos deu precisamos viver com responsabilidade.

Deus abençoe você!

Comentários