20 mar 2017

Recorramos ao auxílio de São José!

Recorramos a São José, olhemos seu exemplo de amor, fidelidade e entrega a Deus

“José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo” (Mateus 1,20).

Hoje, a Igreja nos dá a graça de celebrarmos São José, o esposo de Maria, o pai adotivo de Jesus, homem eleito e escolhido com um papel fundamental nos desejos salvíficos de Deus.

Às vezes, olhamos para a figura de Maria e reconhecemos a importância que ela tem na história da salvação, que é única. Ao seu lado, Deus também colocou um companheiro, um homem santo, justo, virtuoso, sobretudo, um homem muito temente e íntimo de Deus.

O que me chama à atenção em São José, o que me leva a olhar para ele como este homem de Deus, é aprender como era fiel e temente, sobretudo como ele amava a Deus sobre todas as coisas. Para ter a grandeza de alma que teve, o amor que teve para com Maria e Jesus, é porque José tinha muito Deus no seu coração!

Num primeiro momento, ele não entendeu nem compreendeu aquilo que aconteceu com Maria. Por isso, no seu coração, não a queria difamar, porque ela ficou grávida quando era esposa dele e não tinha sido por ele. José desconfiava de Maria, mas não entendia os desígnios que Deus tinha para ela. Ele silenciou seu coração, colocou-se na presença de Deus. E quem se coloca na presença de Deus, é Ele mesmo quem vai conduzindo e iluminando.

Às vezes, quando não compreendemos uma coisa, a nossa primeira reação é nos chatearmos, aborrecermo-nos, ficarmos até revoltados. Precisamos aprender no silêncio de José a nos submeter, para não entendermos as coisas de uma forma humana, para não sermos precipitados, para não tomarmos decisões na carne e na humanidade apenas, mas para sermos conduzidos no Espírito, como José foi.

Deus usou de um meio para intervir, para se manifestar, para mostrar a José qual era a Sua vontade. José, por meio de um sonho, compreendeu que ele não podia, de forma nenhuma, ter medo de acolher Maria.

José teve medo de acolher Maria, medo de amá-la, de continuar cuidando dela, mas foi o próprio Deus quem lhe mostrou que ele era o homem escolhido para cuidar dos Seus tesouros mais preciosos: seu próprio filho Jesus, Nosso Senhor e Salvador, e a Mãe d’Ele, aquela que era a portadora da graça.

José é o grande guardião da Igreja, o grande guardião da família e protetor de todos nós! Deus o escolheu para uma posição fundamental: cuidar, guardar, vigiar aquilo que é d’Ele, para que Sua graça não se perca em nós, para que não desperdicemos aquilo que Deus nos deu. Recorramos a São José, olhemos Seu exemplo de amor, fidelidade e entrega a Deus, recorramos à Sua proteção!

Reze: “José, que guardastes e protegestes a Sagrada Família, que guardastes e protegestes os grandes tesouros de Deus, proteja, guarde, conduza com tuas mãos, com tua intercessão poderosa a mim, a minha casa, a minha família, o meu coração, a minha fé, as minhas intenções, os meus propósitos, aquilo que eu não compreendo, aquilo que dentro de mim parece cego e obscuro. Ó, José, grande amigo de Deus, homem das virtudes, ensina-me também o caminho do Céu!”.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: mailto:padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários