24 fev 2014

Que Deus nos ajude a vencermos a inveja que há em nosso coração!

A inveja é um mal terrível, destrói famílias, destrói relacionamentos, destrói amizades, destrói comunidades e cria rivalidade!

”Por outra parte, a sabedoria que vem do alto é, antes de tudo, pura, depois pacífica, modesta, conciliadora, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem fingimento” (Tg 3, 17).

 

A Palavra de Deus hoje nos chama a combater dentro de nós a maldita inveja e o maldito ciúme, porque se, em nosso coração, nós alimentamos o amargor do ciúme e a rivalidade dentro de nós crescem os piores sentimentos e desordens de toda espécie. Ciúmes e inveja não são uma coisa simples, são difíceis, porque eles agem em nossa vida de várias formas: veja que, por inveja do diabo, o pecado entrou no mundo, e foi por inveja e ciúmes do seu irmão que Caim matou Abel.

Sabem aquelas fofocas, aquelas conversas que começam a surgir no meio de nós, aquelas intrigas e picuinhas, depois se transformam em brigas e em verdadeiras desordens em nossas casas, nossas famílias, nas nossas Igrejas. Tudo isso começa a nascer de um coração profundamente invejoso e ciumento.

Muitas vezes, nós não percebemos a inveja em nós, não percebemos como ela cresce em nós; mas ela é um veneno amargo que vai crescendo por dentro e nos deixando pessoas azedas; e nós vamos contaminando uns aos outros com a inveja venenosa e maldosa que há dentro do nosso coração. Ela é um mal terrível, destrói famílias, destrói relacionamentos, destrói amizades, destrói comunidades; ela cria rivalidade, cria parcialidades e não age com imparcialidade.

Meus irmãos e minhas irmãs, em um profundo ato de contrição, de humildade, nós precisamos descobrir e olhar para dentro de nós e perceber os estragos que a própria inveja causou em nosso coração. Quando nós invejamos alguém, nós não queremos bem essa pessoa e, uma vez que nós não a queremos bem, nós começamos a falar mal dela; falar dela para um e para outro. E não pense que a fofoca, a calúnia, a difamação são coisas simples; não, não são! São pecados terríveis!

A maledicência é um pecado que destrói relacionamentos e reputações, é uma verdadeira injustiça contra a pessoa do próximo. Por isso Deus, hoje, está nos convidando a sermos sinceros e retos, a não sermos mais semeadores de discórdia, de brigas e fofocas; mas, pelo contrário, a sermos os semeadores da paz, da conciliação e da reconciliação!

Só pode semear a paz, só pode semear o bem, o coração que conseguiu vencer dentro de si o mal do rancor e da inveja!

Deus abençoe você!

 

Comentários