10 jan 2015

O verdadeiro discípulo se preocupa com o nome de Jesus

Convém que cada vez mais a Palavra de Deus cresça, inflame e seja anunciada e cada vez menos o nosso nome apareça, porque tudo que fazemos não é por nós nem para nós, mas sim por Ele e para Ele!

“Esta é a minha alegria, e ela é completa. É necessário que ele cresça e eu diminua” (João 3, 29-30).

Os discípulos que conviveram com São João, quando ele estava preso no cárcere, vão ao encontro dele dizer-lhe tudo o que Jesus estava fazendo, tudo o que Ele estava realizando, porque, a partir daquele momento, era Ele quem batizava e anunciava o Reino de Deus. E que alegria isso provoca no coração de São João, porque, mesmo estando preso no cárcere, ele reconhece e toma consciência de que ele veio para isso [para preparar o caminho do Mestre]. Ele não veio para a sua glória, não veio para engrandecimento do seu nome, mas sim para mostrar que é Jesus quem veio realizar o Reino de Deus. Por isso São João exulta de alegria, porque o Reino de Deus está se cumprindo, está acontecendo!

Sabem, meus irmãos, no anúncio do Reino de Deus, nós, muitas vezes, somos diminuídos e tidos como “insignificantes”, isso sem contar as provações, as privações e até mesmo as tentações pelas quais passamos e, sobretudo, as confusões às quais somos submetidos por causa dele [Reino de Deus]. Muitos de nós ficamos ofendidos, porque nosso nome não está sendo levado em conta, não está sendo levado em consideração.

No entanto, o discípulo de Jesus não se preocupa com o seu nome, mas sim com o nome de Jesus! O discípulo de Jesus não procura a sua glória, mas sim a glória do Reino de Deus!

Se para o Reino de Deus crescer for preciso que diminuamos, que vamos a cada dia desaparecendo a fim de que ele vá se instalando no meio de nós, será conveniente que cada vez mais a Palavra de Deus cresça, inflame e seja anunciada e que, cada vez menos, o nosso nome seja importante, porque tudo o que fazemos não é por nós nem para nós, mas sim por Ele e para Ele!

Por isso nós nos dispomos a sofrer contrariedades no Reino de Deus. Quem não estiver disposto a sofrer contrariedades nem entender que estas nos purificam não está apto para viver a dinâmica do Reino de Deus. Ou a viverá com muita angústia, com muito sofrimento e sem a paz interior.

Ao passo que, quando sofremos por causa desse Reino na certeza de que ele está crescendo, podemos até sofrer, podemos algumas vezes ser até ser injustiçados, mas sabemos que é por causa d’Ele que passamos por determinadas situações.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários