04 mar 2016

O amor exige gestos concretos

Não podemos amar a Deus se nossos gestos não correspondem a esse amor

“Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força!” (Marcos 12, 30).

O escriba tenta colocar Jesus à prova ao questioná-Lo sobre qual é o primeiro, o maior e mais importante de todos os mandamentos. Jesus mesmo responde que é amar a Deus com toda força, com todo entendimento, vontade e coração; nada se supera a isso!

Sabe, meus irmãos, ao entendermos bem o que significa amar o Senhor com todo nosso coração e toda nossa alma, saberemos viver os demais mandamentos da Lei de Deus e a vontade d’Ele para nossa vida.

Quem ama alguém de verdade sabe o quanto o amor passa por provações. O amor é exigente, o amor exige dedicação, desdobramento, exige sair de si para poder amar. Não é simplesmente um amor romântico, mas um amor intensidade, um amor de entrega, sublime. Só quem sabe amar de verdade, sabe quanto esforço é necessário fazer para se amar.

Nós não podemos viver com Deus apenas um amor romanceado: “Eu amo Deus, Ele é tudo para mim, eu não vivo sem Ele!”. Isso é um fato, uma realidade, mas o amor precisa ser vivido com a vida e com o coração. Você não pode dizer para uma pessoa que a ama quando seus gestos não correspondem a isso. Você não tem tempo nem dedicação para ela, não morre para si mesmo, para que esse amor seja vivido na intensidade.

Da mesma forma, nós não podemos amar a Deus se os nossos gestos não correspondem a isso. Amá-Lo não é só uma vontade, um desejo; amar ao Senhor exige que nos coloquemos na presença d’Ele, à Sua disposição; é dormir com Ele, acordar com Ele, estar com Ele em tudo aquilo que fizer.

Desculpe-me, mas é a mais pura hipocrisia a sociedade que diz amar a Deus, mas só quando vai à igreja, quando vai à Missa e está ali com Ele. Não é um tremendo engano, uma tremenda ilusão!

Quem ama a Deus, ama-O a todo tempo e momento. Do mesmo jeito, se você ama sua esposa, não a ama só quando está com ela; você não ama seu marido só quando está com dele, principalmente quando não está junto, quando não está presente, porque isso é fidelidade.

O amor a Deus é fiel, é um amor que envolve todo o nosso ser, tudo aquilo que fazemos. Sentimos até uma vontade de fazer algo que é errado, que não se pode, que não se deve, mas quando a nossa mente, o nosso coração está tomado pelo amor de Deus, está repleto desse amor, nossa consciência não nos permite errar.

Agora, se nós vivermos negligenciando isso ou aquilo, e simplesmente a nossa consciência não nos disser nada, é preciso rever a forma como estamos amando a Deus. Não podemos amá-Lo só com a boca e com palavras, porque não é todo aquele que diz: “Senhor, Senhor, eu Te amo, eu dou minha vida por Ti!”. Às vezes, é melhor nem falarmos nada, deixar que a vida por si mesma diga o quanto, de verdade, amamos a Deus.

Deus abençoe você!

Veja a reflexão do dia de hoje:

 

repensando-a-vida

Adquira em nossa Loja Virtual o livro do Padre Roger


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários