04 dez 2014

Nossos atos devem testemunhar a nossa fé

Nossos atos devem testemunhar a nossa fé. Que a nossa fé seja uma “fé compromisso” com Jesus, com Suas Palavras e com Seus ensinamentos.

“Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos Céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus” (Mateus 7, 31).

Não basta dizer: “Eu creio em Deus!”; não basta dizer: “Eu creio em Jesus!” se não transformamos a nossa fé em vida ou se a fé não transforma a nossa vida, ou se não nos permitimos ser transformados pela fé que cremos.

A fé não pode ser só uma atitude de “boca”, de fala. Não posso ser só um homem que prega bonito, que fala bonito; não posso ser uma pessoa que apenas louva e que canta para Deus. O que caracteriza um discípulo de Jesus não é aquilo que este fala de Jesus, mas é aquilo que a vida do Senhor se manifesta por intermédio de sua própria vida; quando ele encarna em si os gestos e as atitudes de uma pessoa que é transformada pelo Evangelho.

Nosso compromisso é testemunhar aquilo que cremos, é manifestar para o mundo não o que Jesus pode fazer por ele [mundo], mas o que Ele fez e faz na nossa própria vida! Sabem, meus irmãos, as pessoas estão cansadas de ouvir falar que Jesus transforma vidas, que transforma pessoas; o que o mundo quer ver é onde é que estão as pessoas que foram transformadas por Ele! Quem convive com você, quem trabalha com você, quem está com você naquilo que você faz na sua casa, na sua família, ou seja, as pessoas em geral – mais do que suas pregações e seus sermões – querem ouvir o que a sua vida tem de diferente, o que sua vida representa de transformação a partir da Palavra de Deus.

Que a nossa fé seja uma “fé compromisso” com Jesus, com Suas Palavras e com Seus ensinamentos; compromisso de viver de acordo com o que Ele nos ensinou. É verdade que isso não é fácil para ninguém, mas seria uma tremenda hipocrisia nos conformarmos com a dificuldade e não termos a convicção de que Cristo e a Sua Palavra podem transformar aquilo que nos parece impossível.

Quando nos submetemos a Jesus, mesmo que nosso temperamento seja o mais difícil do mundo, Ele vai modificando e conduzindo o nosso temperamento. Podemos ter comportamentos que não são adequados, mas se os submetermos a Jesus Ele os vai transformando.

Dentro de nós pode haver vontades que não são de Deus, mas se permitimos que a Palavra de Deus vá transformando aquela vontade ruim, aquela vontade de fazer coisas erradas, de nos vingar, de falar palavrões, coisas feias e erradas, perdemos o gosto por tudo isso e a nossa vida tome outro rumo e outra direção.

Não basta dizer: “Senhor, Senhor”, é preciso deixar que Jesus seja o Senhor da nossa vida por intermédio dos nossos atos e nossas atitudes!

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários