25 set 2014

Não permita que as vaidades conduzam a sua vida

No mundo, onde as transformações são tão rápidas, automáticas, deixar-se iludir e enganar-se pelas vaidades é uma terrível tentação!

Vaidade das vaidades, diz o Eclesiastes, vaidade das vaidades! Tudo é vaidade” (Eclesiastes 1, 2).

A Palavra de Deus, apresentada no Livro do Eclesiastes, traz para nós uma das meditações mais importantes da nossa vida: a vaidade. Quando vamos amadurecendo com a vida, percebemos que boa parte de tudo aquilo que fizemos não passou de vaidade! Em outras palavras: parece que tudo vai com a idade, tudo passa, só fica aquilo que é essencial.

Nós, muitas vezes, gastamos energia, nossa disposição e o melhor de nós brigando por causa disso e por causa daquilo; causamos até intrigas, confusões, mas, depois, vemos que nada daquilo tinha sentido, foi tudo perda de tempo. Nós deixamos de viver coisas boas, essenciais na vida, porque perdemos tempo com coisas que são fugazes e passageiras.

Olhem para os bens materiais que nós, muitas vezes, preocupamo-nos em ter; uma coisa que era muito importante para nós ontem, depois de um dia, ou passado algum tempo, já não tem mais nenhum valor, foi esquecida, foi deixada num canto, perdeu o significado. No mundo, onde as transformações são tão rápidas, automáticas, deixar-se iludir e enganar-se pelas vaidades é uma terrível tentação! Sobretudo, num mundo onde estamos nos comparando uns com os outros, queremos ter o que o outro tem, ser o que o outro é, e assim, a vaidade vai tomando conta do nosso coração.

Às vezes, brigamos por causa de cargos, por causa de afetos e acabamos digladiando uns contra os outros, porque nos sentimos ofendidos por coisas tão pequenas. Depois de um tempo percebemos o erro: “Puxa! Como eu fui bobo, como fui ingênuo!”.

Quem é sincero consigo mesmo faz um exame de consciência a cada tempo da sua vida e logo percebe que aquilo que fez, talvez no ano passado, ou há dez anos, não o faria hoje. Aquilo que dissemos para o outro, porque veio do ímpeto do nosso coração, percebemos que foi perda de tempo. E vemos que não precisávamos ter sido tão arrogantes, tão orgulhosos, não precisávamos ter nos achado tão melhores que os outros.

Na fase da vida em que você se encontra, ainda dá tempo de reparar as vaidades da vida, os excessos, aquilo que não edifica, aquilo que é fugaz, temporal, passageiro. Invista a sua vida no essencial, no fundamental! Invista a sua vida em ser bom para com os outros, na generosidade, na bondade, e não deixe que a erva daninha da vaidade conduza os seus pensamentos e os seus sentimentos.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários

Outubro

51%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários