01 jun 2017

Estejamos sempre em comunhão com Deus

Jesus nos dá um testemunho de amor, unidade e comunhão com o Pai

“Pai santo, eu não te rogo somente por eles, mas também por aqueles que vão crer em mim pela sua palavra; para que todos sejam um como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, e para que eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste” (João 17, 20-21).

Essa oração, essa prece que Jesus dirige ao Pai, vem do fundo da Sua alma e do Seu coração. Jesus conhece a todos nós, Ele conhece a nossa natureza humana marcada pelo pecado, pelo orgulho, pelo egoísmo, pela vaidade, e sabe que tudo isso, colocado para fora, é uma grande tentação para quebrar a unidade do Reino de Deus.

O testemunho que Jesus nos dá com a Sua vida é um testemunho de amor, unidade e comunhão com o Pai. Não se faz unidade se não tiver amor nem comunhão!

A comunhão é, de fato, comungar do mesmo sentimento, da mesma fé e do mesmo amor. Quando o amor está zelando por todas as coisas, direcionando todas as coisas, é possível construir a unidade. Agora, quando eu coloco as minhas vaidades, pretensões e razões, o meu ego acima de qualquer coisa, a unidade vai se quebrando, a comunhão vai se rompendo, as pessoas até vivem juntas, podem morar juntas, trabalhar juntas, rezar juntas, viver numa mesma igreja, professarem a mesma fé, mas quando a unidade é quebrada, as coisas se rompem.

Com quem nós precisamos fazer unidade? Primeiro, com Deus, acima de tudo, viver uma profunda comunhão com Ele! Quem tem comunhão com Deus não semeia discórdia, separação e desunião. Quem tem comunhão com Deus rende-se ao Seu Espírito, é ele quem semeia, constrói e edifica a nossa unidade no corpo de Deus.

Talvez a unidade pareça uma coisa de difícil compreensão, porque unidade parece que todos pensam e falam igual, não têm dificuldades nem divergências. Mas as divergências, os atropelos acontecessem, as dificuldades de comunicação de linguagem podem acontecer e acontecem, sem dúvida nenhuma.

O mais importante não são os atropelos, as mágoas, ressentimentos ou todas as sequelas que ficam dos relacionamentos que não foram bem conduzidos. Tudo isso é um aprendizado, tudo isso concorre para o bem daqueles que esperam em Deus, porque o Senhor pega todas as coisas, até o caos para construir o mundo, edificar o universo. Ele também pega as nossas divergências, as nossas dificuldades e constrói a unidade do corpo de Deus. Não podemos ficar a serviço da desunião, da briga, da separação. Quem está unido a Jesus procura construir unidade onde Ele se faz presente.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: mailto:padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários