30 set 2013

Devemos amar, cuidar e querer bem nossas crianças

Como nós devemos amar, cuidar e querer bem nossas crianças! Elas são nossa maior riqueza, nosso maior tesouro, é o maior presente que nós temos em nossas casas.

“Quem receber esta criança em meu nome, estará recebendo a mim. E quem me receber, estará recebendo aquele que me enviou” (Lc 9,48).

Hoje, celebramos o dia de São Jerônimo. No encerramento do mês da Bíblia, lembramo-nos daquele que é o patrono das Sagradas Escrituras, pois foi ele quem fez a tradução vulgata delas, a tradução do original para o latim, e foi dessa tradução que saiu as demais traduções da Palavra de Deus.

Mais importante que a tradução é a paixão de São Jerônimo pela Palavra do Senhor; dedicava dias e noites meditando a fundo em cima da Palavra de salvação do Nosso Deus.

Queremos, hoje, voltar-nos com um olhar maior, abrir os nossos ouvidos, o nosso coração para que a Palavra de Deus penetre em nosso ser, para que ela seja o grande alimento para a nossa vida. Aprendamos com São Jerônimo a amarmos a Palavra de Deus como o nosso alimento de cada dia.

Aquilo que diz hoje o Evangelho – “Quem receber esta criança em meu nome, estará recebendo a mim” – faz-nos lembrar que, na tradição judaica, a criança não tinha importância, ela não era nem contada, era vista com desprezo e, por isso, quando os discípulos estão discutindo quem é o maior, é óbvio que, neste grupo, as crianças não eram nem levadas em consideração. É por essa razão que Jesus, ao invés de responder quem é o maior, ele mesmo diz: “Se alguém está recebendo uma criança em Meu nome, é a mim mesmo que está recebendo”.

Como nós devemos amar, cuidar e querer bem nossas crianças! Elas são nossa maior riqueza, nosso maior tesouro, é o maior presente que nós temos em nossas casas. Nós devemos lutar pelos direitos que pertencem a elas e não podemos permitir que elas sejam corrompidas por este mundo, que percam a dignidade, o respeito, a estima.

Não se trata somente das nossas crianças que estão em nossas casas, mas daquelas que estão na rua, maltratadas, esquecidas, abandonadas. Em cada uma dessas crianças está a impressão do amor do Pai. Todas as vezes que nós dermos atenção a uma criança abandonada, a um menino de rua, a uma criança que está sendo desprezada, desvalorizada, que está sofrendo – acredite – estaremos acolhendo o próprio Jesus.

Precisamos abrir o nosso coração para cuidarmos dos nossos pequeninos!

Deus abençoe você!

:: Ouça esta reflexão no Canal Pod Homilia

Comentários