03 Feb 2022

Entregue o seu coração à vontade de Deus

“Jesus chamou os doze e começou a enviá-los dois a dois, dando-lhes poder sobre os espíritos impuros. Recomendou-lhes que não levassem nada para o caminho, a não ser um cajado; nem pão, nem sacola, nem dinheiro na cintura. Mandou que andassem de sandálias e que não levassem duas túnicas” (Marcos 6,7-9).

O cristianismo não é carreira solo, é sempre estar na companhia de alguém, é comunidade. Por isso, Jesus chama os Seus Doze e começa a enviá-los dois a dois. Se nós pensarmos com a nossa lógica humana, eram doze os discípulos; Jesus poderia atingir 12 lugares mandando um para cada lugar, mas não está em jogo uma estratégia, e sim a criação de uma fraternidade. Jesus está preocupado em criar uma comunidade, para que a comunidade dos Seus discípulos seja para todos testemunho de comunhão e de unidade. Isso é muito importante!

Se os dois estão em comunhão, Jesus está no meio deles, e Ele mesmo afirmou isso: “Onde dois ou mais estão reunidos no meu nome, eu estou no meio deles” (Mateus 18,20). A nossa parte é formar comunhão sempre, e é fazer comunhão sempre.

Jesus recomendou que não levassem nada, porque o discípulo precisa dar o seu coração, ele precisa dar a si mesmo e não dar coisas

A Palavra diz que “recomendou-lhes”, mas no original é “ordenou-lhes”. Quando Jesus ordena, é porque os discípulos não fariam aquilo de forma espontânea, então, Jesus precisa dar uma ordem, e essa ordem precisa ser obedecida.

Somos mestres em carregar aquilo que não é essencial, gostamos muito de tralhas, gostamos muito de coisas superficiais, supérfluas, e Jesus quer sempre nos levar ao essencial. Se alguém não tem nada, então essa pessoa vai dar de si mesma. Por isso Jesus recomendou que não levassem nada, porque o discípulo precisa dar o seu coração, ele precisa dar a si mesmo e não dar coisas, mas dar o próprio coração.

É interessante que Jesus diz para levar o cajado, a única coisa para ser levada. Lembra o cajado de Moisés que libertou o povo na travessia? O cajado lembra a Cruz de Cristo, o lenho da Cruz, um instrumento com o qual a humanidade foi salva, isso é muito importante! A Cruz de Cristo é a única coisa necessária na nossa vida e na nossa missão, porque através da Cruz de Cristo a redenção chegou a toda a humanidade.

“Nem pão.” O pão nosso de cada dia, Deus nos dá; a preocupação exagerada não tem lugar, porque Deus cuida de nós. A Providência Divina rege a nossa vida e toma conta de tudo. “Nem sacola.” Jamais acumular, jamais deixar que, no nosso coração, vão se acumulando pesos e coisas que não fazem parte da nossa vida! Por fim, “nem dinheiro”. A nossa segurança é Deus e Deus somente, a nossa riqueza é Deus, a preciosidade da nossa vida é a Palavra de Deus, é ela que nos guarda, que nos orienta e nos conduz.

Peçamos ao Senhor a graça desse abandono total da Sua vontade, um desprendimento do nosso coração de tudo aquilo que nos tira da vontade de Deus, que nada se anteponha a Ele, que nada na nossa vida roube o lugar d’Ele, tire o lugar de Deus, mas que nós nos esvaziemos para nos preenchermos somente d’Ele.

Sobre todos vós, a bênção do Deus Todo-poderoso. Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!


Padre Donizete Ferreira

Sacerdote da Comunidade Canção Nova.

Comentários

Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.