23 Nov 2019

Deus promete a vida eterna a todo aquele que n'Ele crê

Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos, pois todos vivem para Ele” (Lucas 20,38).

A verdade é que, se nós andarmos na presença de Deus, vivermos a vida para Deus, para Ele viveremos para sempre, porque o nosso Deus não é o Deus da morte nem dos mortos.

Choramos pelos nossos que morreram, mas chorar não é o problema, a questão é se entristecer e deixar que a tristeza tome conta de nós, tire de nós o sentido da vida, da existência, como se a morte tivesse acabado com tudo ou destruído tudo.

A morte física pode até acabar com a nossa vida terrena, mas a nossa vida em Deus ninguém jamais tira, ninguém tem o poder de destruir a nossa relação com Ele. O Deus que nos deu a vida para vivermos neste mundo e na vida presente, é o mesmo Deus que nos dá a vida para a eternidade.

Sejamos aqueles que creem na vida eterna, na vida que Deus nos prometeu

Se caminharmos na Terra, na presença de Deus é bom, imagina estarmos na eternidade para sempre na presença de Deus. Por isso, não podemos ter a mentalidade mundana, porque foi essa mentalidade mundana que levou os saduceus a questionarem a Jesus, a perguntarem a Ele como se daria a ressurreição, não é nem porque eles queriam saber da ressurreição, eles, na verdade, não acreditavam na ressurreição, negavam a ressurreição como muitos negam, como muitas crenças negam a ressurreição, como muitos de nós, mesmo vivendo na Igreja, não creem ou não têm comunhão com a vida ressuscitada em Deus.

Alguns não expressam com a boca mas com os sentimentos. “Morreu, tudo acabou”; é, por isso, que a morte assusta e preocupa a tantos, porque levam uma vida somente na matéria; e a matéria, de fato, perece e morre; o nosso corpo, de fato, perecerá, mas é porque esse corpo é corruptível, ele ficou sujeito à dor, aos sofrimentos, à fragilidade da vida e tudo mais. Como Deus é maravilhoso, é o Deus dos vivos e não dos mortos, Ele dá uma vida nova para o nosso corpo, Ele concede a ele a imortalidade, concede ao nosso corpo a incorruptibilidade.

Ele tira esse nosso corpo corrupto, que se corrompe e se corroí como matéria, e concede a ele um corpo glorioso, como é o corpo do Senhor Jesus vivo e ressuscitado.

Assim como professamos a cada dia a nossa fé: “Eu creio na ressurreição da carne, na vida eterna”, que essa profissão de fé seja a razão de ser da nossa vida.

Não sejamos como aqueles que negam a ressurreição, mas sejamos aqueles que creem na vida eterna, na vida que Deus nos prometeu.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários

Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.