19 ago 2014

Você quer ser o primeiro no mundo ou no coração de Deus?

Quando vivemos a lógica de Deus em nossas vidas as riquezas e os bens deste mundo não nos consomem. Muitos dos que são os primeiros na sociedade serão os últimos no Reino dos Céus.

“Muitos que agora são os primeiros, serão os últimos. E muitos que agora são os últimos, serão os primeiros” (Mateus 19, 30).

 

A lógica de Jesus, que é a lógica do Reino de Deus, inverte os valores que aprendemos em nossa vida, na qual aprendemos que quem é mais é quem mais tem, é quem mais possui e tem mais poder. Contudo, Jesus nos mostra que, no Reino de Deus não é assim, quem tem mais é quem mais se desapega, é quem mais abre mão do que tem. Quem é mais livre é quem pode ser mais no Reino de Deus!

Por isso muitos dos que são os primeiros na sociedade serão os últimos no Reino dos Céus; ao passo que muitos daqueles que são os últimos e até sem valor nenhum, para nós e para a sociedade, esses, sim, são os primeiros no coração de Deus.

Há duas coisas que precisamos aprender, hoje, com o que o Mestre Jesus nos ensina. Quando Ele nos diz que dificilmente um rico entrará no Reino dos Céus  não é o problema de ser rico, ter bens, possuir riquezas ou trabalhar para ter uma vida cada vez mais justa e digna. Jesus aponta para o perigo que são as riquezas e o que elas em si fazem no coração do homem.

A riqueza provoca, cada vez, mais dentro de nós, a nossa ganância. É difícil alguém que (e não precisa nem ser muito rico não!) possui ou começa a possuir as coisas que fique satisfeito com o que tem, por isso está cada vez mais sempre ganancioso para ter mais. As riquezas nos mantêm apegados aos bens materiais e nos levam, muitas vezes, a cometermos injustiças uns contra os outros.

A grande injustiça do mundo é uns possuírem demais, terem posses que não acabam mais, e outros, muitas vezes, não terem direito a nada. As riquezas geram em nós uma visão materialista do mundo, vemos o mundo a partir dos bens materiais e não exaltamos mais os valores espirituais; porque a visão materialista gera em nós uma verdadeira cegueira espiritual.

Do outro lado, o Mestre promete uma recompensa ao desapego, porque quem se desapega do mundo e das coisas tem Deus como posse, O tem como sua maior riqueza! Quando fazemos de Deus a nossa riqueza, as outras coisas serão para nós apenas um acréscimo. Quem é rico para Deus é aquele que sabe inverter os valores: o que era para estar em primeiro lugar ele o vê por último e o que se via por último ele o vê como o primeiro. Primeiro, vemos os valores espirituais, vemos os valores do Reino e o demais buscamos em acréscimo.

Quando vivemos a lógica de Deus em nossas vidas as riquezas e os bens deste mundo não nos consomem, porque a maior riqueza e o maior tesouro do nosso coração é o próprio Deus!

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários

Setembro

52%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários