23 jan 2017

Temos de ser contra aquele que nos divide

Tudo o que se divide se destrói, tudo o que se divide vai se eclodindo por si mesmo, tirando a graça e a beleza da unidade

“Se um reino se divide contra si mesmo, ele não poderá manter-se. Se uma família se divide contra si mesma, não poderá manter-se” (Marcos 3, 24-25).

Hoje, a Palavra de Deus nos chama a uma reflexão sobre o mal da divisão, pois essa é diabólica e demoníaca. Dividir as pessoas, as famílias, a Igreja, os cristãos; todo o trabalho de divisão da humanidade é um trabalho do mal. O mal quer nos dividir, quer nos colocar uns contra os outros.

Desde o princípio, dois irmãos: Caim se colocou contra Abel e dividiu sua família. Se olharmos nos dias de hoje, não existe mal maior que destrói a nossa humanidade do que o terrível joio da divisão, que destrói nossas casas, nossas famílias e comunidades; destrói a unidade do Corpo de Cristo e nossos relacionamentos. Por isso, uma coisa é muito importante: é preciso distinguir divisão de diversidade.

As pessoas podem ter diversidade de opiniões, podem ter opiniões divergentes, pensar diferente. O que não podemos é transformar essa semente do pensar diferente no joio maldito da divisão, porque tudo que se divide se destrói, tudo o que se divide vai eclodindo por si mesmo, tirando a graça e a beleza da unidade.

O Reino de Deus não se conjuga com o mal, porque ele destrói ou quer destruir a força do bem que há em nós. O mal nunca será maior que o bem, mas quando queremos servir o bem e o mal, ou permitimos que as obras do mal estejam em nós, que o maligno exerça fascínio sobre nós, somos os primeiros a ficar divididos. Queremos fazer o bem, mas estamos fazendo o mal; queremos semear o bem, mas estamos seguindo o reino das trevas. Queremos ser pessoas do bem, do amor e da concórdia, mas estamos vivendo, muitas vezes, o ódio, o ressentimento, o rancor. Isso para você perceber que a divisão começa dentro de nós.

Não podemos nos dividir, porque, se nos dividirmos, não seremos pessoas inteiras e plenas, como Deus quer e nos criou dessa forma. Não é questão de dividir o coração, mas de purificar nossa alma, nosso coração, nossa vida, nossos relacionamentos e tudo aquilo que fazemos para não estarmos a serviço do mal, e o mal não nos dividir.

Deus não quer que sua casa nem sua família sejam destruídas, Ele não deseja que elas acabem; então, cuide para que a semente da discórdia, da divisão e do mal não estejam permeando sua casa.

Não podemos ficar nos gladiando, atacando-nos, jogando culpa em cima dos outros e virar aquela bagunça, aquela baderna. “Sou contra esse. Sou contra aquele.” Não é isso! Temos de ser contra aquele que nos divide.

Quem pensa diferente de nós, quem não tem os mesmos pensamentos, tem o nosso respeito. Brigamos apenas contra o reino das trevas, mas entre nós precisamos nos amar. Não podemos permitir, de forma nenhuma, que o divisor, que a palavra “diábulos”, que semeia a divisão no meio de nós, vença. Mas que a Palavra de Cristo opere a unidade e a união.

Volto a dizer: união não é todo mundo pensar igual ou fazer igual. Há uma beleza incrível na diversidade, há uma beleza maravilhosa até nos dedos de nossas mãos, cada um é diferente do outro, cada um têm uma função, cada um têm uma importância; e não precisa brigar, porque um é mais bonito que o outro.

Precisamos entender que cada um tem uma riqueza a dar e não podemos dividir.

Deus abençoe você!

Comentários