07 ago 2014

Renovemos a nossa aliança de amor e comunhão com Deus

Deus fez uma aliança conosco de amor e comunhão, que imprime um caráter divino em nós e não pode mais ser desfeita.

Imprimirei minha lei em suas entranhas, e hei de inscrevê-la em seu coração; serei seu Deus e eles serão meu povo” (Jeremias 31, 33).

 

A liturgia hoje nos convida a renovarmos a nossa aliança de amor e comunhão com o nosso Deus. O próprio Evangelho nos aponta para a comunhão de fé e amor existente entre Pedro e Jesus; entre Jesus e Simão, agora chamado de Pedro, pedra da Igreja. Porque é sobre a pessoa de Pedro que o Senhor constitui – na Sua profissão de fé, na Sua afirmação e naquilo que é o sentido de Sua vida messiânica – a Sua Igreja.

E assim como Jesus faz uma aliança e confia a Pedro a responsabilidade da Sua Igreja, Deus também faz uma aliança comigo e com você. Essa aliança é feita no fundo da nossa alma e do nosso coração e imprime um caráter divino em nós.

Que coisa mais bela, na administração do sacramento do batismo, quando a mãe mostra o peito da criança e nós  sacerdotes, diáconos, a Igreja  imprimimos o óleo dos catecúmenos nela. Aquele óleo penetra no peito da criança e ela está marcada e selada e, daquele momento em diante, ela é para sempre de Deus. Foi assim que fizeram comigo e com você no dia do nosso batismo, Deus fez uma aliança conosco, a qual está marcada no nosso peito, em nosso coração. É uma aliança que não dá mais para ser desfeita, é uma aliança que se faz por toda a vida!

Pode ser que nós não levemos a sério as alianças e os compromissos da vida. Como as chamadas alianças políticas que duram enquanto durarem os interesses de ambas as partes. Mas a de Deus conosco não é assim! Aqui se trata de uma aliança divina, a aliança entre nós e Deus; e entre Deus e nós.

Se você não se compromete com aquilo que Deus se comprometeu com você, Ele é fiel à parte d’Ele até o fim. É por isso que precisamos todos os dias examinar a nossa consciência e a nossa mente, pois o compromisso que fizemos com Deus é  o compromisso de sermos santos, de vivermos a Sua vontade em nossa vida e de guardarmos as Suas leis e os Seus mandamentos divinos sem ignorar a vontade do Senhor.

Pode ser que, por fraqueza, por negligência, por indisposição ou por falta de compromisso, deixemos de viver, muitas vezes, a vontade de Deus em nós. Assim como existem muitos casais que deixam as alianças de lado, não as levam a sério e estas ficam esquecidas. Aqui nessa homilia, não se trata do objeto “aliança”, mas sim do símbolo, do sinal dessa aliança mais profunda que é feita na alma e no fundo do coração. Assim é a nossa aliança com Deus, Ele da Sua parte leva muito a sério a aliança que fez conosco; o que nós precisamos é também levar a sério a aliança que fizemos com Ele.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários