11 jul 2014

Prudência, simplicidade e perseverança, remédios no combate espiritual

Três coisas que o Senhor hoje quer nos dar como remédios no combate espiritual que nós vivemos: a prudência, a simplicidade e a perseverança.

Eis que eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas” (Mateus 10, 16).

 

O Evangelho de hoje aponta para nós de que maneira devemos nos portar no mundo em que vivemos. Ninguém é ingênuo a ponto de não perceber e saber que existem muitas maldades no mundo em que vivemos. A força do mal, a ação do mal e os lobos da vida estão presentes em todos os lugares.

É mais do que compreensível que, por mais bons que sejamos, não é com bondade que as pessoas vão nos tratar ou nos receber. E que, por mais honestos que queiramos ser, não é com honestidade que vão nos tratar. Da mesma forma, por mais receptivos, amorosos e carinhosos que queiramos ser com os outros, não é com carinho, com ternura e com amor que nós seremos sempre recebidos por todos. Sobretudo se tivermos disposição e a mais reta intenção de viver o Evangelho em nossa vida, seremos incompreendidos até pelos nossos, dentro de nossa, dentro de nossa família.

Muitas vezes, o filho não vai ser compreendido pelo pai; o pai não vai ser compreendido pelo filho. Não  é que Jesus vá colocar uns contra os outros; pelo contrário, o Senhor quer unir a nossa família, quer unir a nossa casa, quer unir os nossos. Mas até no meio dos nossos haverá aqueles que não vão aceitar a vida do Evangelho a qual nós nos propusemos a viver.

Três coisas que o Senhor hoje quer nos dar como antídotos, como remédios no combate espiritual que nós vivemos: a prudência, a simplicidade e a perseverança. Sim, porque as ovelhas que vão no meio dos lobos precisam ser prudentes como o são as serpentes. A “prudência” é, antes de tudo, ser atento, ser prudente quer dizer não ser bobo, não ser ingênuo, mas, de fato, ter sabedoria, ter o momento certo e a forma certa de agir. Saber quando recuar e quando ir para frente. Não podemos ser ingênuos no Reino de Deus! A cada dia mais quando perdemos a nossa inocência, nós precisamos da pureza, mas não da ingenuidade. Nós não podemos ser bobos, mas precisamos ser atentos e saber como agir em cada momento.

Do outro lado nós também precisamos da “simplicidade”, nada de complicar, nada de colocar muitas dificuldades, nada de querer exigir muitas coisas ou ver as coisas de forma muito complexa. O Reino de Deus é simples, é leve. O Reino de Deus não cria complicações. E nós precisamos agir, neste mundo, com a simplicidade e com a pureza do Evangelho.

E vivendo tudo isso, não podemos nos esquecer da “perseverança”, rezarmos pela nossa perseverança e pela perseverança dos nossos. E aqui perseverar não é simplesmente aguentar firme e seguir no caminho um dia, dois dias, um ano, alguns anos; mas sim perseverar até o fim. Muitos já foram do Senhor e hoje não o são mais. Não precisamos julgar ninguém, mas sim olhar a nossa postura. Quem está de pé, cuidar para não cair; e quem caiu se levantar e continuar caminhando, porque, em Deus, nós precisamos da perseverança e da perseverança final.

Deus abençoe você! 


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários

Setembro

47%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários