01 ago 2014

Precisamos valorizar aqueles que Deus colocou ao nosso lado

Não sabemos valorizar as pérolas, as pratas, aqueles que estão conosco no dia a dia. Deus vai falar muito mais por meio deles se soubermos valorizar aqueles que Ele colocou ao nosso lado.

“Jesus, porém, disse: ‘Um profeta só não é estimado em sua própria pátria e em sua família!’” (Mateus 13, 57).

 

Nós, hoje, acompanhamos o drama de Jesus que se dirige à Sua terra natal: Nazaré. Nós dizemos “terra natal” não porque Jesus nasceu em Nazaré, mas sim porque foi ali que Ele foi criado, que Ele cresceu e também ali estão Seus familiares e Seus parentes. Foi ali que Jesus começou a ensinar na sinagoga, é ali que as pessoas iam para admirar a pregação e a mensagem d’Ele.

Mas, ao mesmo tempo, é da Sua terra, da terra que O criou, a terra em que Ele viveu, que Ele também recebe desprezo, é nessa mesma terra que Ele não é aceito, é dali que vêm as interrogações, é dali que vem a rejeição a Ele. Muitos de Seus parentes e familiares mais próximos também manifestaram incredulidade na pregação de Jesus. Por isso o Senhor pergunta e, ao mesmo tempo, afirma que: “Um profeta só não é estimado em sua própria pátria e em sua família!” (Mt  13, 57). Ele justamente nega isso ao afirmar que um verdadeiro profeta não é estimado em sua pátria e em sua casa.

A fala de Jesus nos ajuda a compreender, porque nós, muitas vezes, não escutamos os da nossa casa falarem, os de nossa família falarem. Preferimos escutar as pessoas de fora a escutar os nossos! Que dificuldade é para um filho escutar o seu pai ou a sua mãe! Ele prefere escutar os colegas da rua, ouvir o que os outros estão dizendo, a escutar os seus pais.

Da mesm forma, quanta dificuldade é para o marido escutar a esposa ou a esposa escutar o marido; quantas vezes ele prefere escutar os companheiros da rua, do trabalho, do boteco; e ela prefere escutar as comadres, aquelas conhecidas do salão e as conversas de rua e, muitas vezes, não nenhum dos dois dá ouvidos aos da própria casa.

Nós, hoje, somos chamados pelo Mestre a rever os nossos conceitos familiares; o Senhor nos chama a darmos mais atenção – pode ser que nem concordemos, pode ser que nem estejamos de acordo com aquilo que os da nossa casa estão dizendo  –, mas a primeira obrigação é escutar a quem mora conosco, quem vive conosco e aqueles que são nossas autoridades diretas. Escutar nossos pais, a mulher escutar o marido; o marido escutar a sua esposa – nisso está a graça de Deus. Nós, muitas vezes, damos valor só ao que é de fora,  e é isso o que também acontece em nossas igrejas, nossas paróquias: o padre bom é só o da outra igreja, o pregador bom e o cantor bom são só o que vêm de fora, pois não sabemos valorizar as pérolas, as pratas e aqueles que estão conosco no dia a dia. Deus vai falar muito mais por meio deles se soubermos valorizar aqueles que Ele colocou ao nosso lado.

Deus abençoe você!

Comentários