15 dez 2015

Nossa oração deve gerar amor em nós

A oração deve gerar em nós mais amor, compaixão e fidelidade a Deus e  Sua vontade

Em verdade vos digo, que os publicanos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus” (Mateus 21,31).

Mais uma vez, Jesus está no embate com os chefes dos sacerdotes e os anciões do povo. E a pequena parábola dos dois filhos que Ele conta é, na verdade, um sinal de compreensão muito clara sobre a disposição que cada um pode ter em querer seguir Deus ou não.

Veja: o pai manda o primeiro filho trabalhar na vinha, mas este diz que não vai, porque não quer; depois, reflete bem, muda sua opinião e vai. O segundo não reflete e responde no entusiasmo: ‘Sim, senhor, eu vou!’ Mas depois não vai. (cf. Mateus 21, 29-30).

Veja mais:
:: Quem tem direito à boa fama?
:: Como você reage diante do pecado do outro?
:: Os verdadeiros valores ensinados por Jesus
:: O sigilo do sacramento da confissão

Quem faz a vontade do Pai não é aquele que põe a boca para fora e diz “amém” para tudo, que reza, ora, faz isso e aquilo, mas, no fundo do coração, não faz a vontade de Deus.

É preferível amar mais e rezar menos

Às vezes, passamos muitas horas rezando, mas amamos e vivemos tão pouco os mandamentos do Senhor nosso Deus. É preferível amar mais e rezar menos, porque a nossa oração tem de transformar a nossa vida, tem de atingir a nossa vontade e disposição! A oração não pode fazer de nós pessoas mais orgulhosas e insensatas; ao contrário, deve gerar em nós mais amor, mais compaixão e fidelidade a Deus e Sua vontade.

Quantas prostitutas, quantas pessoas julgamos que sejam de má vida, e irão nos preceder no Reino de Deus! Porque, muitas vezes, o pecador parece que não se converte, mas quando este ouve a Palavra de Deus e se deixa crer e se convencer por ela, muda de vida de verdade.

Como seguir Jesus?

Aquele que, muitas vezes, está na igreja e sempre reza, acha que o outro precisa de conversão; está sempre reparando a vida das outras pessoas. Na verdade, seguir Jesus quer dizer: “Repare sua própria vida, corrija a si mesmo e converta-se a cada dia!”. Se não, daqui a pouco será também doutor da Lei. Conhecemos muita coisa de Deus, mas sabemos praticá-las pouco demais.

Para Deus o mais importante não é o conhecimento, mas a vida; para Ele, o mais importante não é a quantidade, mas a intensidade e a qualidade de vida moldada pelo Seu Evangelho.

Deus abençoe você!

repensando-a-vida

Adquira este livro de padre Roger Araújo

Comentários