22 abr 2015

Não desviemos o olhar de Cristo nem O tiremos do coração

Não desviemos o olhar de Cristo nem O tiremos do coração, pois, se tirarmos d’Ele o nosso olhar, o risco de nos perder será muito grande! 

E esta é a vontade daquele que me enviou: que eu não perca nenhum daqueles que ele me deu, mas os ressuscite no último dia” (João 6, 39).

Precisamos abrir o nosso coração para compreender que esta é a vontade do Pai: que nenhum de nós se perca, que nós não nos desviemos do caminho, da direção ou da meta que é o Reino de Deus. Ao longo da história da humanidade muitos se perderam, muitos se desviaram, muitos não encontraram nem sequer o caminho.

Deus enviou Seu Filho não foi para trazer ao mundo a sentença de condenação, mas sim a sentença de salvação! Deus enviou Seu Filho para que Ele mesmo fosse o caminho e a direção da salvação da nossa humanidade.

Muitas vezes, quando falamos de salvação, a nossa cabeça se lembra só da salvação eterna, o céu. É verdade que o Senhor nos dá essa vida plena, essa ressurreição plena e que, no último dia, estaremos todos juntos com o Pai. Todos nós que ouvimos a voz de Jesus – e nos tornamos Seus discípulos e Seus seguidores – permitimos que a vida de Deus aconteça em nós, porque também é desta vida que Jesus veio falar a nós, é desta vida plena aqui na Terra, de modo que nenhum de nós se perca na direção e no caminho da vida.

Que não andemos sem saber para onde estamos indo, sem saber que direção estamos dando para a nossa vida. Pode ser que, em alguns momentos, não saibamos o que fazer, estejamos em dúvida, divididos, tenhamos questionamentos, mas não podemos deixar de ter metas, não podemos perder o olhar da direção final, não podemos perder a direção do horizonte e, ao longo da estrada, nos iludirmos com as fantasias que se apresentam ao longo do caminho.

Deus Pai não quer que eu me perca, Ele não quer que você se perca, não quer perder nenhum de nós ao longo do caminho! Deixe-me dizer, nós, mesmo nos caminhos do Senhor, nos perdemos, nos desviamos da rota e nos tornamos tão autossuficientes que chegamos a ponto de dizer: “Já sei tudo de Deus!”. Ou: “Já está bom!”. E também: “Já cheguei a um grau de intimidade e conhecimento com Deus que eu me faço autossuficiente!”.

Isso é um perigo, uma tentação, um desvio de rota e de caminho! Só Jesus nos salva, só Ele nos conduz ao Pai. Que não percamos a meta e a direção do caminho, que não desviemos do Cristo o nosso olhar, que não tiremos Jesus do nosso coração. Estando n’Ele e com Ele estaremos no caminho da vida eterna! Ao passo que, se tirarmos d’Ele o nosso olhar, o risco de nos perder será muito grande!

Deus abençoe você!

Comentários