18 jul 2014

Domingo é o Dia do Senhor; não um dia qualquer!

Não podemos fazer do domingo um dia como outro qualquer. Faça do Dia do Senhor um dia para louvar, para engrandecer e agradecer ao Senhor.

Ora, eu vos digo: aqui está quem é maior do que o Templo” (Mateus 12, 6).

 

Os fariseus querem, de alguma forma, incriminar Jesus, querem realmente colocá-Lo em contradição, porque Ele parece não respeitar o sábado, violar o sábado, porque os Seus discípulos estão fazendo nesse dia aquilo que não lhes é permitido.

Jesus lembra que o próprio Davi soube também não transgredir o sábado, mas soube colocar a misericórdia a uma necessidade maior em favor do outro, acima do sábado. E os próprios sacerdotes de Israeal que, muitas vezes, não observam a lei do Templo em função de si mesmos. Jesus diz: “Aqui está quem é maior do que o Templo” (Mateus 12, 6). Em outras palavras também – “Aqui está quem é maior do que o sábado”.

A Palavra de Deus hoje é, para nós, um motivo para refletirmos sobre a importância do “Dia do Senhor” em nossa vida. Para nós, cristãos, o domingo é um dia sagrado, nós não podemos vivê-lo como os outros dias da semana, como se ele fosse um dia qualquer. Alguém pode dizer: “Mas todos os dias são dias do Senhor!“. É verdade que todos os dias são dias do Senhor, mas na observância da lei de Deus existe um dia, por excelência, consagrado ao Senhor e àqueles que servem ao Senhor: o domingo, “Dominus“. O domingo não em função do shopping, da compra disso ou daquilo, ele é domingo em função e em honra do Senhor!

Nós não podemos viver os dois extremos: como viveram e interpretaram os fariseus, que se escravizaram por causa deste dia e não tiveram a liberdade de viver a Lei conforme a vontade do Senhor. Mas nós também não podemos cair no extremo do relaxo, e fazermos do domingo um dia como outro qualquer.

Daí duas coisas importantes, primeiro: santificar o Dia do Senhor. A Santa Missa dominical, o preceito dominical, é sagrado, é mandamento de Deus para nós, é dia de sairmos de nós e irmos ao encontro do Senhor. A segunda coisa: evitar fazer aos domingos aquilo que fazemos todos os dias em nossa vida. Domingo não é dia de trabalharmos para ganhar mais nem dia de colocarmos fardos pesados ou mais trabalho naqueles que estão ao nosso dispor. No ritmo frenético da vida muitas pessoas, hoje, costumam dizer: “Eu preciso adiantar o meu trabalho”. E estão de domingo a domingo, de segunda a segunda, entristecidos e consumidos pelo seu trabalho.

O domingo existe como Dia do Senhor em memória ao dia em que Deus descansou. Se Deus não se cansa e quis descansar – imagine nós, pobres mortais! Além do mais, nós precisaremos recorrer a Deus e a um monte de remédios para curar o nosso estresse e o nosso cansaço se nós não soubermos dar o valor sagrado que o descanso tem em nossa vida.

Faça do Dia do Senhor um dia para louvar, para engrandecer e agradecer ao Senhor; mas também faça dele um dia de descanso, um dia de repor as energias para que a vida seja mais saudável!

Deus abençoe! 

Comentários