18 nov 2015

Coloquemos os dons que recebemos de Deus a serviço do bem

Não podemos nem devemos enterrar os talentos que recebemos, pelo contrário, precisamos florescer a graça que recebemos de Deus como bondade para nós

“Muito bem, servo bom. Como foste fiel em coisas pequenas, recebe o governo de dez cidades” (Lucas 19, 17).

A parábola deste homem nobre, que colocou seus bens na mão de seus empregados, dando cem moedas de prata a cada um para que as pudessem multiplicar, é o exemplo do pai que confia seus bens aos filhos, para que possam render outros bens, multiplicar-se e não se perder.

Na parábola, o que muito recebeu procurou fazer render muito aquilo que recebeu e não guardou; desse modo, foi elogiado e recebeu muito mais por aquilo que fez. Já o outro, que recebeu também cem moedas, guardou-as num lenço e deixou-se levar pelo medo, pelo receio, e não multiplicou a graça que recebeu.

Sabe, meus irmãos, essa parábola mostra-nos também uma outra realidade: se Deus é bom, se ele é misericordioso, Ele também é justo e correto naquilo que faz. Aquilo que Deus nos deu é o que vai esperar de volta multiplicado, acrescido naquilo que fizemos nesta terra, da vida que levamos, da conduta, da forma como dirigimos nossos passos.

Não podemos nem devemos enterrar os talentos que recebemos; pelo contrário, precisamos florescer a graça que recebemos de Deus como bondade para nós!

Todo ser humano é capaz de produzir frutos, exceto se a pessoa se enterre na preguiça e no medo, e queira viver apenas uma vida de forma relapsa; mas todos nós temos condições de produzir muitos frutos.

Deus não quer muito de nós, mas Ele nos capacita para fazermos o pouco que temos ser muito. Você que é pai recebeu a graça de ser um bom pai e precisa se esforçar para ser o melhor possível. Digo o mesmo da mãe, do estudante, do filho, do trabalhador, do homem do campo…

Graças a Deus, olhamos para um mundo onde muitos dons foram multiplicados e pessoas foram capazes de fazer muitas coisas boas para a humanidade, para a nossa saúde, para o equilíbrio da natureza! Mas, infelizmente, houve aqueles que não só desperdiçaram os talentos como também usaram muito mal os dons que receberam. Alguns preferiram criar bombas, outros usar os dons que tinham para construir coisas que nada edificam.

Usemos os dons que o Senhor nos concedeu para fazermos o bem ao nosso próximo, onde quer que estejamos. Que não enterremos o nosso talento, mas coloquemos toda a graça que recebemos do Senhor a serviço do bem!

Deus abençoe você!

Comentários