27 Apr 2014

A fé alimenta nossa relação com Deus

Hoje, mais do que nunca, somos convidados a ser homens e mulheres do Espírito e a alimentarmos a nossa fé, porque é ela quem nos mantém de pé.

”Jesus lhe disse: ‘Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”’ (João 20, 29).

 

Nós hoje queremos mergulhar na profundidade da misericórdia e do amor de Deus, porque Tomé precisou tocar nas mãos e nas chagas do Senhor para que ele pudesse acreditar e para que ele pudesse ter fé. É o tipo de fé que exige prova racional, é a fé que exige o conhecimento experimental: ”Se não me provar por A mais B, eu não creio, eu não acredito!”

Infelizmente, no mundo de ontem e, sobretudo, no mundo de hoje, muitas pessoas estão mergulhadas no racionalismo e na incredulidade diante das coisas da fé, dos mistérios de Deus, porque põem a fé à prova, submetem a fé – algo tão genuíno do Espírito e da profundidade da nossa alma e do nosso ser – à prova da razão.

Não, não é que tenhamos de ignorar a razão, não! Porque ela nos faz muito bem, ela nos dá pressupostos [para discernirmos entre o certo e o errado]. O que nós não podemos é diminuir a nossa fé, o que nós não podemos é ignorar a nossa experiência mística, o que nós não podemos é deixar de alimentar a nossa espiritualidade.

Porque fé é acreditar no que não se vê, é ter convicção daquilo que não estamos vendo, mas, mesmo assim, nós temos certeza, porque nosso espírito toca nas realidades divinas e nas realidades espirituais à medida que alimentamos o homem espiritual que somos, à medida que alimentamos a nossa espiritualidade, à medida que nós aumentamos e invistimos em nossa relação com Deus.

Quando nós não alimentamos a nossa relação com o divino, com o sagrado, a nossa relação pessoal com Deus, é óbvio que a nossa fé diminui ou se torna extremamente racional.

A bem-aventurança que Jesus, hoje, nos apresenta é fundamental para permanecermos firmes na fé e no seguimento do Senhor. A bem-aventurança de hoje nos permite experimentarmos a bondade e a misericórdia de Deus; a bem-aventurança da fé, a bem-aventurança de acreditar para além de nossas incredulidades. A bem-aventurança de alimentar o nosso espírito, porque não só de pão vive o homem, não só da matéria vive o homem, não só dos pressupostos racionais vive nossa humanidade, mas de tudo aquilo que vem da Palavra de Deus, do coração de Deus e da nossa experiência com Ele.

Somos, hoje, mais do que nunca convidados a ser homens do Espírito, mulheres do Espírito, e a alimentarmos a nossa fé, porque, no final das coisas, no fim de tudo, é ela quem nos mantém de pé. Mesmo sem ver eu creio, mesmo sem ter visto eu acredito, porque eu experimentei, do fundo de minha alma e do meu coração, um  encontro pessoal com Deus vivo!

Deus abençoe você e uma feliz Páscoa!

 


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários

Novembro

40%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários